domingo, 25 de agosto de 2019

⤵Médicas criam adesivos para receita e ajudam pacientes analfabetos

Adesivos para receita médica - Fotos: divulgação



Duas médicas da Bahia criaram adesivos para receitas médicas pra pacientes entenderem melhor qual, como e quando tomar seu remédio.

São pequenos desenhos colantes com sol (durante o dia), lua (durante a noite), prato com talheres (após/antes das refeições), imagem de injeção, de inalação, entre outros, para serem colados ao lado de cada medicamento receitado pelo médico.

Nosso principal foco ao criar foi pra ajudar pacientes que são analfabetos e pacientes até que sabem ler, mas que usam muitos medicamentos e que precisam organizar a prescrição para poder utilizar os remédios no dia a dia. Mas serve para qualquer tipo de paciente”. Explicou a médica Ana Elisa Almeida, uma das criadoras dos adesivos, ao SóNotíciaBoa.

Residente em Infectologia no Complexo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (COM-HUPES), em Salvador, ela criou os adesivos junto com amiga e colega de profissão, Mariana Fontes, médica residente de psiquiatria também no COM- HUPES.

Ana Elisa explicou que os adesivos podem ser comprados por médicos para facilitar que os pacientes compreendam as receitas, sem risco de erro.

Eles podem ser adquiridos por qualquer profissional de saúde que deseja melhor a relação com seu paciente e a adesão medicamentosas. Ou qualquer cidadão que veja que o adesivo será útil de alguma forma”, afirmou.

“Hoje utilizamos os adesivos com os pacientes que atendemos aqui em Salvador. Através da internet, divulgamos e comercializamos os adesivos para que mais pessoas possam ter acesso em qualquer lugar do Brasil”, contou.

Os adesivos vêm cartelas:

Cartela de turnos: tem adesivos indicando os turnos/horários para o uso do medicamento. Caso seja um remédio para uso semanal, ou em dias específicos da semana, você pode usar o adesivo do calendário, marcando um X no dia da semana que o paciente irá usar o remédio.

Cartela das vias de administração: com esses adesivos, você sinaliza ao paciente a forma como o remédio será administrado. Tem adesivos para remédios oral, tópico, spray, nebulização, injetável e oftálmica/ auditiva. O médico escolhe o adesivo que mais parece com o comprimido real e pinta a quantidade de comprimidos que o paciente precisará fazer daquele remédio.

Mariana e Ana Elisa – criadoras dos adesivos – Foto: divulgação

Cartela das indicações de uso: de forma lúcida e didática, esses adesivos servem para mostrar ao paciente para qual patologia ou indicação médica se faz o uso do remédio. Para indicar se o paciente usará para diabetes, basta sinalizar para ele com o adesivo do “remédio que abaixa o açúcar” que é a “balinha com o X”. Vai prescrever um antibimicrobiano? O uso de adesivo com uma “bactéria” ou do “vírus” pode ser feito.
Vendas

Ana Elisa revela que os adesivos são feitos “através da parceria que fizemos com a Fernanda da papelaria Criativo Papel que abraçou a ideia conosco”.

Cada cartela, com quase 100 adesivos, custa R$ 6.

Para comprar clique aqui!

As médicas também têm um perfil no Instagram onde fazem reflexões para uma vida mais consciente, simples, sem pressa e humanizada, dentro e fora da medicina.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Jornal (81 9.8766-4082).

DÊ SUA OPINIÃO SOBRE O CONTEÚDO QUE VOCÊ ACESSOU.
Para registrar sua opinião, use o seu perfil do Facebook, logo abaixo da matéria, na barra de manifestação.




Garra, simplicidade e liderança, marcam o perfil do ACS Luis Antônio Baia

Enquanto os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias a nível nacional se deparam com uma grande crise nacional, possivelmente a pior dela, que remete a ausência de representatividade na defesa das pautas da categoria, silenciosamente um Agentes Comunitários se destaca, diante de 60 mil colegas de todos os recantos do Brasil. Envolto em sua simplicidade, sem a velha prática da alimentação de egos, sempre pronto para socorrer as demandas dos colegas, Luis Antônio Baia é o destaque da semana.  

O ACS Luis Antônio  (Fortaleza, Ceará) é um dos administradores da maior comunidade voltada aos ACS/ACE de todo o Brasil, a Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde (ACS e ACE). Uma comunidade hospedada no Facebook e que interage com diversas Redes Sociais, por meio dos recursos interativos que lhe são disponibilizados.  Leia a matéria completa!





VÍDEO EM DESTAQUE

👉VÍDEO - RIO: Presidente do SINACS/RJ fala sobre a situação das 1.500 demissões sem assistência das entidades, que se dizem defensora da categoria a nível nacionalVeja direto no Youtube





Este menino está hospitalizado após tomar alta dose de paracetamol. 

O menino de dois anos precisa de um transplante de fígado após ter sofrido overdose de paracetamol.  Por Bruna Romanini

Um menino de apenas dois anos está hospitalizado e aguardando um transplante de fígado. Tudo isso por causa de um erro muito comum de seus pais. Ocorre que o pequeno estava com febre e seus pais decidiram lhe dar paracetamol para baixar a febre.

Contudo, os pais de Phu Tho no Vietnã acabaram dando uma quantidade maior do medicamento do que o recomendado para crianças de dois anos. Durante quatro dias eles deram quatro doses de 500 miligramas de paracetamol para o filho.






Jessé conta que suas dificuldades com os estudos apenas o motivaram a se esforçar para que suas duas filhas tenham um bom futuro. 

Jessé Soares é um jovem que mora no Pará. No final  de outubro  de 2015, ele concluiu o curso de medicina na Universidade do Estado do Pará (UEPA).
Jessé nasceu em uma pequena cidade no interior do Pará, Limoeiro do Ajuru, com 25 mil habitantes. Ele veio de uma família simples e o esforço de seus pais foi fundamental para que Jessé concluísse o ensino médio e continuasse seus estudos.

No ano de 2009, o jovem conseguiu uma vaga na faculdade de medicina, então, mudou-se para a capital do estado, Belém. Nesse mesmo período, sua namorada engravidou da primeira filha do casal. A vinda da filha fez com que Jessé procurasse uma forma de aumentar a sua renda, e foi aí que ele teve a ideia de vender bombons nos ônibus coletivos da cidade. Cada bombom tinha o valor de R$ 0,50. Jessé chegou até mesmo a fazer uma campanha através das redes sociais em 2013, para conseguir manter-se até o final do curso. Leia a matéria completa!






Projeto de Lei nº 5.312/16 visa beneficiar a mais de 333 mil Agentes de Saúde (ACS e ACE)

O  Projeto de Lei nº 5.312/16 é de autoria do Deputado Federal Fausto Ruy Pinato e contempla a todos os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias. A proposta é reduzir a carga horária dessas categorias, sem alterar nenhum dos benefícios que já conquistaram. 
Conforme divulgamos aqui no Jornal, a proposta altera o art. 9º-A da Lei 11.350/06, que trata do exercício das atividades dos ACS/ACE.

Algo está errado
De forma muito estranha, assim como ocorre com outros projetos, que beneficiam aos mais de 333 mil agentes de saúde, o PL  nº 5.312/16 não tem recebido apoio das entidades nacionais, que se dizem representantes das citadas categorias. Seria por que essas entidades não são autoras da proposta ou por outros motivo de foro particular? 

PL  nº 5.312/16  está na fase conclusiva, após 3 anos de tramitação e, se continuar sem o devido apoio, poderá não prosperar.  Leia a matéria completa!






A mãe obrigou seu menino saudável a ver 320 médicos e a passar por 13 cirurgias, incluindo transplante de pulmão

Uma mãe submeteu seu menino saudável a 13 cirurgias extensas, inclusive um transplante de pulmão! Ela também obrigou o filho a passar por 320 médicos ao longo de seus oito anos de vida e o manteve em uma cadeira de rodas!

Kaylene Bowen, 35 anos, de Dallas nos Estados Unidos foi presa e se declarou culpada por ter submetido seu filho a uma série de procedimentos dolorosos e desnecessários. Ela agora aguarda o julgamento que ocorrerá em outubro deste ano.






Presidente do Sindicato Estadual dos Agentes Comunitários de Saúde e de Endemias, Francisco Oliveira

O presidente do Sindicato Estadual dos Agentes Comunitários de Saúde e de Endemias (Piauí), Francisco Oliveira ganhou uma ação movida contra uma colega, identificada como Ana Ferreira, após a mesma ter deferido vários xingamentos contra o presidente nas redes sociais.

De acordo com o advogado Dr. Jefferson Francisco Falcão de Carvalho Marcos, o episodio aconteceu em um grupo de WhatsApp depois que o presidente comunicou que estava lançando seu nome para candidato a deputado federal.






O drama vivido por Rozi e demais pessoas, assistidas por ela, nos chama a atenção pela situação de extrema pobreza com a qual convive.

A imagem e o drama vivido pela agente comunitária de saúde Rozi (nome alterado para evitar exposição desnecessária),  ganhou destaque no microblog da ONG (Organização Não Governamental) Médicos Sem Fronteiras.

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por graves crises humanitárias.

A ACS Rozi trabalha no projeto contra o HIV (sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana) com trabalhadoras do sexo no Malaui (África). Ela havia se tornado trabalhadora do sexo em 2002, depois que um divórcio a deixou com dois filhos para sustentar sozinha.  Leia a matéria completa!





Simplicidade e garra, marca o perfil da ACS Giane Simões 

Em meios a tantas dificuldades e embaraços, ainda assim, há aquelas pessoas que superam as adversidades momentâneas e ainda conseguem motivar aos demais colegas a "pegar uma carona agradável nessa onda." Essa é uma definição que pode ser classificada como lúdica para classificar a Agente Comunitária de Saúde Giane Simões
O próprio perfil profissional de Giane a classifica, apresentando a sua garra, confira:

Uma Agente Comunitário de Saúde de relevante atuação na Prefeitura de Belém (Pará), graduou-se em  serviço social (bacharelado) e se especializou em Gestão Hospitalar.
Leia a matéria completaClique aqui!





A 8ª TST condenou um hospital de Nova Lima (MG) por entender que a empregada deveria receber a remuneração em dobro 

O trabalho em feriado deve ser remunerado em dobro, mesmo que haja grande período de descanso para compensação. Essa foi a decisão da Justiça em uma ação movida por uma técnica de enfermagem, contratada em 2009, que afirmou ter trabalhado em vários feriados nacionais sem ter recebido o devido pagamento em dobro.
A 8ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou um hospital de Nova Lima (MG) por entender que, apesar de os turnos serem de 12 horas e o período de descanso de 16 horas, a empregada deveria receber a remuneração em dobro do trabalho prestado em feriados, conforme assegura a jurisprudência do TST. Leia a matéria completa, Clique aqui!





Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - PQA-VS é um direito dos Agentes de Combate às Endemias

O Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-RJ) decidiu em audiência de conciliação no dia 17/07 determinar o arresto de R$ 38 milhões das contas bancárias de titularidade do município do Rio de Janeiro. A ação foi movida pelo Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde do Município do Rio e mais oito sindicatos devido à demissão de 1.500 agentes comunitários que trabalhavam nos hospitais públicos da prefeitura geridos pelo Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas).
Os servidores reivindicam o pagamento dos salários e a apresentação dos Termos de Rescisão do Contrato de Trabalho do pagamento das rescisões contratuais de todos os substituídos, que incluam salários, aviso prévio, 13º salário e demais direitos trabalhistas. Leia a matéria completa, Clique aqui!





Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde - PQA-VS é um direito dos Agentes de Combate às Endemias

O Grupo de Trabalho de Vigilância em Saúde (GTVS), em reunião realizada no dia 19 de novembro de 2018, validou o regramento atual do Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS), vigente em 2018, para o ano de 2019. Portanto, permanecem os mesmos indicadores, metas e as demais regras referentes ao financiamento, constantes da Portaria MS/GAB nº 1.520, de 30 de maio de 2018, e da Portaria de Consolidação MS/GAB nº 6, de 28 de setembro de 2017, Capítulo II, artigos 478, 479 e 480. Leia a matéria completa, Clique aqui!





Pela perícia técnica, ficou demonstrado que a empregada pública realizava diariamente visitas em residências para avaliar possíveis focos do Aedes Aegypti. Na foto: ACE de BH.

Uma agente de combate a endemias da prefeitura de Belo Horizonte teve reconhecido pela Justiça do Trabalho o direto a receber adicional de insalubridade em grau máximo. Ela já recebia do Município o benefício em grau médio, mas, diante da exposição a agentes nocivos à saúde, reivindicou judicialmente a modificação do grau de insalubridade. Para a desembargadora da 4ª Turma do TRT-MG, Maria Lúcia Cardoso de Magalhães, a descrição das atividades desenvolvidas justificaram o novo enquadramento em grau máximo, conforme previsto na Norma Regulamentadora NR-15 do então Ministério do Trabalho e Emprego. Leia a matéria completa, Clique aqui!




 Milhares de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias estão sendo demitidos pelo Brasil. Isto, de forma silenciosa.

Os Agentes de Saúde (ACS/ACE), as Demissões em Massa e a Caixa de Pandora

Atualmente os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) estão passando por onda de demissões em massa. Essa onda não é novidade, embora ocorra silenciosamente.  Mas, por que o silêncio das entidades que representam essas categorias? O que está acontecendo para que essas demissões sejam mantidas em silêncio?

A Caixa de Pandora
Caixa de Pandora é um artefato da mitologia grega, tirada do mito da criação de Pandora, que supostamente foi a primeira mulher criada por Zeus. A "caixa" era na verdade um grande jarro dado a Pandora, que continha todos os males do mundo. Pandora abre o Jarro, deixando escapar todos os males do mundo.
No caso dos ACS/ACE,  a Caixa de Pandora representa as demissões em massa e as negligências de várias entidades representativas, nas várias esferas. Leia a matéria completa, Clique aqui!





A relatoria da Federalização dos Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias ficou com a Senadora Mailza Gomes

Conforme informações disponibilizadas no Canal da Federalização a atual Sugestão Legislativa 33/2019 já conta com uma relatoria. Conforme informações do Portal do Senado Federal.
A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (Secretaria de Apoio à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa), fez a distribuição e a  Senadora Mailza Gomes (Acre) foi designada para emitir relatório. Leia a matéria completa, Clique aqui!





O PL 1802/19 acaba com a polêmica sobre a o vínculo duplo e garante o direito dos Agentes Comunitários e de Combate às endemias

A polêmica sobre a Legalidade da possibilidade dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias Acumularem caros Públicos está preste a se encerrar.
Projeto de Lei 1802/19, que está tramitando na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados.
Na última quinta-feira (11), publicamos uma matéria descrevendo informações relevantes sobre a tramitação do Projeto.

Alguns detalhes sobre o PL 1802/2019

Já há entendimento de que as duas categorias possuem esse direito, inclusive, com parecer jurídico favorável à categoria. Leia a matéria completa, Clique aqui!


↪️ +VÍDEOS EM DESTAQUE



👉VÍDEO - URGENTE: Prefeitos usam erros da Lei 11.350 para demitir Agentes de Saúde (ACS/ACE).  Veja no Youtube, Clique aqui!


👉VÍDEO - Radionovela valoriza agentes de saúde e consolida importância do SUS. Veja direto no Youtube

FontePor Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa / Jornal dos Agentes de Saúde do  Brasil. Publicado em 25/08/2019, às 19h19.  





https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif


Nenhum comentário:

Postar um comentário