sexta-feira, 22 de junho de 2018

✔️CNM reage contra o Reajuste do Piso Nacional dos Agentes de Saúde, após fazer articulações em Brasília

CNM - Confederação Nacional de Municípios não dá trégua aos agentes de saúde e adota postura irracionais

A CNM - Confederação Nacional de Municípios, uma das principais instituições inimigas dos Agentes Comunitários de saúde e Agentes de Combate às Endemias, continua destilando o seu veneno contra os trabalhadores.

Após a última tentativa de sabotar o descongelamento do Piso Salarial Nacional, que determina o valor mínimo a ser pago a cada ACS/ACE, situação que o Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil deu ampla visibilidade por meio de suas mídias integradas, usando o vídeo que denuncia o ocorrido. Agora a CNM faz novo ataque, conforme publicação feita em seu portal. Confira matéria completa, aqui!

✔️Presidente da CONACS fala sobre as manobras da CNM

               👉VÍDEO: Reajuste do Piso: CONACS faz advertência sobre manobras da CNM

Com a aprovação do relatório da Comissão Mista da Medida Provisória 827/2018, concedendo reajuste escalonado do Piso Salarial Nacional dos ACS/ACE, ou seja, R$1.250,00 em 2019;  R$1.400,00 em 2020 e R$1.550,00 em 2021, a CNM prontamente se posicionou, estabelecendo-se contra a conquista do reajuste, exatamente como havia feito no dia 20, quando publicou uma nota vergonhosa.


CNM, CONASEMS e CONASS são velhos conhecidos da categoria, exatamente pelas investidas contra qualquer tipo de conquista, quer na esfera municipal, estadual ou federal. O argumento usado é sempre o mesmo: impactos financeiros sobre os municípios. Eles omitem que os recursos para custear os agentes vem do FNS - Fundo Nacional de Saúde.

                👉AO VIVO: Confira a Votação da MP que trata do Reajuste do Piso Nacional  

"Na verdade, não há lógica alguma nessa postura adorada pelos gestores (tanto prefeitos quanto secretários de saúde), considerando que a municipalidade recebe recursos da União. Claro que o município também tem que participar com suas contrapartidas, até mesmo ampliando o valor do salário da categoria, já que o valor do Piso Nacional é o mínimo a ser pago e não o teto máximo. A realidade é que esses gestores se beneficiam com a precariedade da contratação dos ACS/ACE, situação que possibilita a exploração política desses trabalhadores. Qual a justificativa para que o Brasil possua mais de 200.000 ACS e ACE em situação de contratação precária, na maioria dos casos sem oferecimento de condições mínimas de trabalho. Não consigo entender como isso é possível, já que temos um vasto leque de leis federais garantidora do direito dos agentes. Há algo de muito grave, mascarando toda essa situação, comentou Samuel Camêlo, coordenador nacional da MNAS - Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde (entidade que dá suporte às instituições representativas dos ACS/ACE).

Não podemos esquecer que a  MP 827/2017 deve ser votada nas duas Casas do Congresso. Mesmo com a votação ocorrida na Câmara dos Deputados, ainda teremos a votação do Senado, havendo possibilidade do texto retornar para apreciação na Câmara.  Fiquemos atentos às manobras que a CNM e CIA possa fazer para atrapalhar a aprovação definitiva do reajuste do Piso Nacional.

✔️DESTAQUES DO JORNAL

              👉VÍDEO: Agentes de Saúde lutam pela aprovação da MP do Reajuste do Piso





             👉VÍDEO: Presidente da CONACS, Ilda Angélica, fala sobre a votação da MP, que foi adiada para amanhã (20/06)




             👉VÍDEO: Brasilia: Deputado Pr. Eurico manifesta apoio aos Agentes de Saúde





                👉VÍDEO: Reajuste do Piso: Deputado Odorico fala sobre nova estratégia...





             👉VÍDEO: CONACS: Ilda e o dep. Gomes de Mato convoca os Agentes de Saúde

Fonte Jornal dos Agentes de Saúde do  Brasil, Publicado em  22/06/2018, às  15h24.   





https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif