terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Febre amarela silvestre e urbana: qual a diferença?

O sangue de uma pessoa contaminada é capaz de transmitir a doença, caso picado pelo mosquito Aedes, de 24 a 48 horas antes do aparecimento dos primeiros sintomas e até 3 a 5 dias após

Transmitida pela picada de mosquitos presentes tanto no meio urbano quanto no silvestre, a febre amarela é uma doença que assusta por sua rápida evolução e risco de morte.

O quadro pode apresentar sintomas leves, como febre alta, vômitos e calafrios, até casos raros e mais graves, em que a pessoa pode desenvolver inflamação no fígado, no rim e até mesmo hemorragia.

Febre amarela silvestre e urbana: qual a diferença?
A febre amarela é uma doença infecciosa que ocorre nas Américas do Sul e Central, além de em alguns países da África, e é transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres.

Febre amarela silvestre
Como o vírus e a evolução dos sintomas são os mesmos nos dois casos, não há nenhuma diferença na manifestação da doença no corpo. A classificação urbana ou silvestre diz respeito apenas à origem do contato com o vírus e ao mosquito transmissor.

Quando o contágio acontece em regiões com muitas matas e florestas, chamamos de febre amarela silvestre porque nesses ambientes o principal vetor da doença é o mosquito Haemagogus, que adquire o vírus ao picar macacos contaminados (hospedeiros naturais) e, posteriormente, o transmitem ao homem (hospedeiro acidental).


Febre amarela urbana
Entretanto, é possível adquirir a doença também no meio urbano e longe das matas, através da transmissão pelo mosquitos Aedes Aegypti (o mesmo que transmite a dengue, zika e outras).

Redes Integradas da Mobilização Nacional:

Nesses casos, o contágio é feito de pessoa por pessoa com o auxílio do mosquito vetor, que irá "carregar" o vírus de uma pessoa contaminada para uma pessoa não-contaminada e não vacinada contra a doença.

Quando o ciclo silvestre pode atingir a cidade?
"A preocupação é justamente essa. Se uma pessoa é picada na região considerada silvestre, ela passa a ter esse vírus no sangue e, se ela for para um ambiente urbano, existe a possibilidade de o mosquito Aedes picá-la e se tornar vetor da febre amarela, expandindo ainda mais a transmissão da doença", explica a médica infectologista Suzy Berbert.

O sangue de uma pessoa contaminada é capaz de transmitir a doença, caso picado pelo mosquito Aedes, de 24 a 48 horas antes do aparecimento dos primeiros sintomas e até 3 a 5 dias após, tempo que corresponde ao período de viremia, em que o vírus está ativo no sangue.

Fontewww.vix.com / Publicado no Jornal dos Agentes de Saúde do  Brasil, em  08/01/2018, às  00h00.    

🔂Agentes Comunitários de Caruaru aprovam novo valor de PMAQ





https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif


Incentivo Adicional (14º): Preparamos o Requerimento, O Projeto de Lei e a Carta destinada ao Presidente do Legislativo

Aqui você terá acesso ao Modelo de Requerimento do Incentivo Adicional, tanto para os Agentes Comunitários, quanto para os Endemias. Alé...