quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Folha de PE diz que a aprovação da PNAB implicará na demissão de 300 mil agentes comunitários

O líder do Governo na Alepe, reconheceu que a proposta da PNAB prejudica os Agentes Comunitários

Em matéria publicada ontem, segunda-feira (22/08), pelo Jornal Folha de Pernambuco, o líder do Governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Isaltino Nascimento é citado sobre a sua participação em audiência pública, sobre a reforma da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB), em Brasília. 

“O novo modelo proposto pelo Ministério da Saúde pode prejudicar uma das melhores práticas que vem sendo executada pelo Governo Federal na área”, explica Isaltino. 

Na matéria é dada ênfase de como a reforma afetará diretamente as equipes de Saúde da Família, com provável redução do efetivo de Agentes Comunitários de Saúde (ACS). Conforme a proposta, cada município deverá adequar o modelo de Atenção Básica a sua realidade, optando pelo formato das equipes.

A Presidente da CONACS, Ilda Angélica, participou dessa Audiência Pública e manifestou
ou os anseios da Agentes contra as manobras para unificar a categoria, no caso, os Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Combate às Endemias, depois substituí-los. Com propriedade ela traçou um panorama histórico das conquistas trazidas pelos profissionais à sociedade brasileira. 

VÍDEO: Presidente da CONACS se posicionou de forma firme e precisa, defendendo todos os Agentes de Saúde (ACS e ACE) do Brasil


“Essa mudança deverá repercutir no trabalho realizado pelos ACSs que têm hoje responsabilidade direta na melhora de indicadores de saúde alcançados nos últimos anos. O Ministério da Saúde pretende mudar um programa que é reconhecidamente exitoso. Precisamos defender a universalização do SUS e o fortalecimento do PNAB”, complementa o parlamentar.

O coordenador da MNAS Sudeste, Francisco Vilela, entrevistou o Senador Eduardo Lopes (RJ) com a finalidade de garantir o PLC que brinda a categoria contra as demissões

Em diálogo entre o Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde de São Paulo (SINDICOMUNITÁRIO), José Jailson da Silva, o Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde do Estado do Rio de Janeiro (SINACS-RJ), Francisco Vilela e o coordenador nacional da Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde (MNAS), Samuel Camêlo, foi avaliado que as propostas da PNAB não atingem apenas os ACS's, considerando que os Agentes de Combate às Endemias serão integrados aos comunitários, formando uma só categoria. No caso, as duas categorias são afetadas pelas mudanças.

Conforme a publicação da Folha, as ações voltadas para a atenção básica são responsáveis por diminuírem a pressão nas redes de média e alta complexidade. O trabalho inclui desde vacinação ao acompanhamento de doenças como hipertensão, combate aos mosquitos que transmitem doenças, entre outras.

A matéria da Folha de Pernambuco também destacou: "Segundo o Conselho Nacional de Saúde, se aprovada a revisão, cerca de 300 mil agentes comunitários podem perder o emprego de forma imediata."

Autorizada a reprodução dessa matéria desde que as fontes indicadas abaixo sejam citadas.

Fonte: Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil com informações da Folha de Pernambucoem 22/08/17, às 21h14.   







https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif


Agentes Comunitários de Saúde de Caruaru aprovam novo valor de PMAQ

Agentes Comunitários e de Combate às Endemias lotam a Câmara de Caruaru para garantir novo valor do PMAQ Ontem, quinta-feira (26), os ...