quinta-feira, 16 de março de 2017

Sindsaúde volta a cobrar o pagamento do vale alimentação da prefeitura de Goiânia

Leocides Souza (diretor do Interior do Sindsaúde), ressaltou a necessidade de retomar as discussões para estender o Plano de Carreiras para os Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias e para os administrativos que atuam na Saúde.

Com a finalidade de dar resolutividade aos entraves que permeiam os direitos trabalhistas e o seu cumprimento pela gestão, o Sindsaúde se reuniu hoje, dia 16, pela primeira vez com a nova secretária da Saúde de Goiânia, Fátima Mrue. Questões salariais, valorização e condições de trabalho foram alguns dos assuntos abordados.

Alimentação
Durante a reunião, a secretária foi pega de surpresa ao ser informada pela presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves, que o pagamento do vale alimentação está atrasado há dois meses.

O Sindsaúde tem cobrando, insistentemente, a regularização dessa situação e chegou até enviar ofício para a prefeitura solicitando a imediata normalização do pagamento do benefício.


Segundo Fátima Mrue, o atraso é decorrente da falta de uma certificação feito pela Procuradoria Municipal que libera o pagamento. Ela reforçou os esforços da prefeitura e disse que essa é uma situação isolada e que estão trabalhando para que isso não volte a acontecer. Ela disse que o pagamento será feito o mais breve possível.

Desde a greve na Saúde Municipal – realizada em abril de 2015 na gestão do ex-prefeito Paulo Garcia – o Sindsaúde tem reforçado a necessidade de reajustar o valor do vale alimentação, que continua sendo pago a R$ 7,50 por dia trabalhado. “O valor pago desse vale alimentação sempre foi uma vergonha. Ninguém consegue se alimentar com essa quantia. Precisamos corrigir essa grave distorção”, completou Flaviana.

Fátima Mrue disse que, antes mesmo da cobrança do Sidnsaúde, ela já tinha o compromisso de reajustar o valor do vale alimentação e que, inclusive, o novo valor já foi até definido. “Estamos passando um pente fino para corrigir todas as distorções na Saúde de Goiânia. Vamos conceder direito a quem deva, de fato, receber. Tudo dentro da lei. E quem não tiver direito de receber determinado benefício, se comprovado, será retirado”, alegou.

Negociação
A presidenta do Sindsaúde reforçou a necessidade do retorno das reuniões da Mesa Municipal de Negociação Permanente a fim de discutir o cumprimento de alguns direitos que estão sendo ignorados pela gestão.

Na ocasião, Mrue disse que só precisa ser oficializada com os nomes dos sindicalistas que farão parte da Mesa para que ela possa designar a equipe técnica que fará parte das discussões.

Direitos
Já o diretor do Interior do Sindsaúde, Leocides Souza, ressaltou a necessidade de retomar as discussões para estender o Plano de Carreiras para os Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias e para os administrativos que atuam na Saúde.

A secretária pediu para o Sindsaúde enviar ofícios com as reivindicações de cumprimento de direitos ou caso exista algum tipo de distorção e até mesmo de assédio moral, para que ela possa estudar, caso a caso, e propor uma solução dentro da lei.

Fonte: Pablo Silva (Jornalista do SINDSAUDE Goiás)/Publicado no Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil - www.agentesdesaude.com.br, em  16/03/17, às 20h17.


Deixe o seu comentário no espaço abaixo!

https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif


O seu Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil agradece pelos 7.000.000 de consultas

Em 2013, quando uma postagem do Jornal, versão Facebook, atingiu 1.480.000 (um milhão, quatrocentos e oitenta mil) acessos ficou evidente...