terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Saiba como os agentes trabalham em visitas domiciliares no combate à dengue

O trabalho de prevenção dos focos de mosquito Aedes aegypti depende do envolvimento de todos e, principalmente, da presença dos agentes de combate às endemias (ACE)

O controle da dengue representa um grande desafio para profissionais de saúde e para a população. O trabalho de prevenção dos focos de mosquito Aedes aegypti depende do envolvimento de todos e, principalmente, da presença dos agentes de combate às endemias (ACE) - usualmente conhecidos como agentes de combate à dengue - nas rotinas de visitas residenciais.

Esses agentes realizam inspeções criteriosas em depósitos, terrenos baldios, caixas d’água, calhas, telhados e no interior das residências. Aplicam larvicidas e inseticidas quando necessário e orientam a população a respeito da prevenção e controle de doenças como dengue, chagas, leptospirose e raiva.

O agente deve se identificar com clareza e objetividade, informando sobre os objetivos da visita domiciliar e solicitando permissão para adentrar o imóvel.

Nas casas, a visita deve ser realizada inicialmente pela parte dos fundos do quintal, vistoriando detalhadamente todos os espaços, inclusive calhas, árvores e muros, dispondo de melhor atenção aos reservatórios de água.

No decorrer da visita, juntamente com o responsável pelo imóvel, o ACE deve orientar e avaliar as situações de risco remanejando e ou eliminando os recipientes que possam acumular água e ou que não tenham utilidade. O agente deverá tratar corretamente com larvicida aqueles recipientes que não puderem ser eliminados.

Na parte interna do imóvel, o ACE deve adentrar em todos os cômodos, sempre em companhia do responsável e orientando sobre medidas preventivas. Se encontrar foco de mosquito, o agente deve apresentar ao responsável, buscando identificar e eliminar as condições do ambiente e os hábitos que ocasionaram a proliferação do mosquito.

Em caso de algum familiar apresentar sintomas da doença, o ACE irá orientar sobre a necessidade de buscar atendimento médico em uma unidade de saúde.

Ainda no imóvel, o agente deve registrar os dados da visita nos formulários de campo, bem como assinar a ficha de visita domiciliar que usualmente está afixada atrás da porta da cozinha ou banheiro. Por fim, deverá agradecer pela atenção e informar o prazo previsto para a nova visita.

 Fonte: Prefeitura de Vitória com edição de Secom - Publicado no Jornal dos Agentes de Saúde em 14/02/17, às 21h47.


Deixe o seu comentário no espaço abaixo!

https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif


Campanha Nacional pela Aprovação do PLC 56/17

Bem-vindo ao Canal Especial pela Aprovação do  PLC 56/2017  antigo  PL 6437/16 15/08/2017 -  Diretores do SINDICOMUNITÁRIO-SP protoc...