segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Está na hora de ter o segundo filho?

Não dá para pensar apenas na diferença de idade entre os irmãos ao planejar o aumento da família
    Por Bruna Menegueço

Maternidade não tem nada de ciência exata. Ninguém pode afirmar que o momento ideal para engravidar do segundo filho é quando o mais velho está com 2, 3 ou 5 anos. Cada família se acomoda à sua maneira e ao seu tempo após o nascimento do primogênito. Mas há algumas questões que podem ser levantadas para ajudar o casal a refletir se já está pronto para uma nova aventura como pais:

Seu corpo já voltou ao normal? 

Fique atenta à sua saúde. Se você teve parto normal, o canal vaginal leva cerca de 40 dias para se restabelecer. No caso de cesárea, tudo é mais lento e você só deve cogitar ter outro bebê um ano após dar à luz. Se ainda estiver amamentando o primeiro filho, não há contra indicação-médica para engravidar novamente, mas é preciso manter uma dieta rica para garantir os nutrientes necessários para todos. Isso não significa comer por três, mas sim ter uma alimentação bem equilibrada e seguir direitinho a orientação do médico. Pode ser que o mais velho passe a rejeitar o leite materno, que mudará de sabor por causa dos hormônios. Caso ele já tenha idade para deixar de mamar, você poderá aproveitar o momento para dar início ao processo de desmame, se essa a sua vontade.

Seu companheiro também quer? 

A decisão de ter outro filho deve ser tomada junto com seu companheiro. Você e ele devem estar dispostos a começar uma nova etapa familiar considerando todas as mudanças que esse novo bebê vai trazer. As modificações passam pela relação entre vocês já na gravidez com a montanha-russa de hormônios, que mexe com a libido da mulher. 


Um novo bebê cabe no bolso? 

O bolso sofre mudanças, não tem jeito, afinal mais gastos chegam com o novo bebê. O bom é se você guardou o enxoval do primeiro filho, o que faz com que vocês economizem em uma parte. Mas coloque na ponta do lápis os outros custos. Educação, vestuário, cuidados com a saúde, alimentação, viagens, diversão e cursos extracurriculares completam essa lista.



Esse é um bom momento para se afastar do trabalho? 

Analise a sua vida profissional. Se você voltou a trabalhar após a licença-maternidade e já recuperou o ritmo, veja se esse é um bom momento para se afastar novamente. Agora se você decidiu parar de trabalhar, aproveite essa fase!



Está disposta a adaptar a sua rotina? 

Leve em conta que durante a gestação o seu pique vai diminuir. Você está disposta a controlar a alimentação e não beber aquela taça de vinho com os amigos? Pense no parto, nas noites de sono maldormidas, principalmente após o nascimento, no desafio da amamentação, da educação e até no ciúme do irmão mais velho. Mas lembre-se: muitos desafios você já sabe bem como são, o que vai diminuir a sua ansiedade, porque, no fim das contas, tudo dá certo. 



A alegria de ter seu filho nos braços 

Depois dessa lista de considerações, não se esqueça de incluir a sensação de segurar seu filho nos braços pela primeira vez, aquele cheirinho de bebê novamente pela casa, a alegria que é para a outra criança ter um irmão. Talvez esse item seja o principal - e o que vai fazer você reconsiderar todos os demais.

Fontes: Revista Crescer. Alberto d´Áuria, obstetra do Hospital e Maternidade Santa Joana (SP), Mariana Tichauer, psicóloga e terapeuta familiar da Clínica EDAC (SP). Publicado no Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil, publicado em 26/12/16, às 20h20.


Deixe o seu comentário no espaço abaixo!

https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif


O seu Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil agradece pelos 7.000.000 de consultas

Em 2013, quando uma postagem do Jornal, versão Facebook, atingiu 1.480.000 (um milhão, quatrocentos e oitenta mil) acessos ficou evidente...