sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Os gestos do seu bebê dizem muito! Saiba como entender

APESAR DE SEU BEBÊ AINDA NÃO FALAR, ELE CERTAMENTE CONSEGUE “DIZER” MUITA COISA PARA VOCÊ. O QUE PODEMOS FAZER É TENTAR DECIFRAR ESSES SINAIS

Uma careta aqui, uma mão ali, um pé pra lá… Os gestos que seu filho faz no dia a dia podem ter um significado por trás que vai muito além de brincadeiras ou farra. A gente acredita que é importante ficar ligada em cada um deles, principalmente antes de ele aprender a falar, já que é através do comportamento que ele mostrará suas vontades e se está feliz ou descontente.

São esses detalhes que, muitas vezes, passam sem serem notados, que se bem-interpretados podem ajudar – e muito! – na conexão que você terá com seu filho. Veja como decifrar os sinais mais comuns.

Cabeça dura

Caso você veja seu filho usando a cabeça como se fosse uma baqueta de bateria contra o berço, fique atenta. E alguns bebês acabam nem demonstrando o menor sinal de dor. A motivação deles é achar que esse movimento o acalma. Não ignore. Se a criança passa longos períodos do dia fazendo isso e não brinca com seus brinquedos, ou não interage com outras pessoas, leve-o ao pediatra para uma consulta.

Leia Também:
11 coisas que você vai sentir falta quando o seu bebê crescer
Dicas para aproveitar os pequenos momentos com seus filhos com qualidade
Orgulho! Veja 9 coisas que seu bebê aprende todo dia e você nem imagina

Uhu! Orelhas!

Tem bebê que puxa as orelhas. Calma, isso não significa infecção de ouvido. Essa geralmente é a primeira conclusão que temos, entretanto, na maioria das vezes, seu filho só acabou de descobrir que tem orelhas! Não é o máximo? Fique contente por ele ter encontrado essa nova parte do corpo. Mas fique atenta, alguns bebês puxam as orelhas quando os primeiros dentes começam a nascer, caso essa seja a causa dos puxões, dê ao seu filho um mordedor congelado, para aliviar o desconforto. É uma ótima dica. Ninguém merece sofrer!

Luta livre

Seu filho parece pronto para entrar em um ringue? Muitos pais estranham, mas as mãos bem fechadas são bastante comuns em recém-nascidos. Eles ficam assim a maior parte do tempo, já que o movimento das mãos e dos dedos requer um sistema nervoso mais avançado e uma função cerebral mais complexa, que eles ainda não desenvolveram.

Os bebês começam a abrir a mão com 8 semanas de idade. Mas é importante saber que, quando esses sinais seguem mesmo depois desse período, também podem significar estresse ou fome. Por isso, caso ele faça isso com mais de 3 meses de vida, consulte o pediatra.

Ai, minha barriga!

Os joelhos flexionados para cima podem ser sinal de desconforto intestinal, constipação ou gases. Não é tão preocupante, ele só está fazendo o que você faz no banheiro, de porta fechada. Se você perceber que os problemas são gases, tente colocá-lo para arrotar depois de mamar; se notar constipação converse com o pediatra.

Arquear as costas

Se o seu filho joga as costas para trás enquanto está comendo e chora ou cospe a comida excessivamente, pode ser um sinal de refluxo e, até mesmo, de refluxo gastroesofágico. No segundo caso, é uma condição em que o ácido do estômago irrita o esôfago e causa uma tentativa de se livrar do desconforto. Se não tem a ver com a comida, ele pode estar arqueando as costas apenas para sinalizar frustração, e precisa de um conforto melhor.

Pronto para voar

Seu filho de repente abre os braços e fica com eles assim? É um reflexo comum quando o bebê sente falta de suporte, ou acha que vai cair. Costuma desaparecer depois de 3 ou 4 meses de idade. Até lá, principalmente na hora de colocá-lo para dormir, você pode usar um cueiro e deixá-lo com a sensação de mais segurança.

Fonte: Revista Pais e Filhos






https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif