terça-feira, 21 de junho de 2016

Estudantes da UFFS – Campus Chapecó aprendem e levam conhecimento a agentes de saúde

O grupo que tratou da tuberculose fez uma roda de conversa. Colocou perguntas de vários níveis dentro de balões

Estudantes aprendendo e ensinando, trocando experiências e “ensaiando” a serem líderes. A atividade proposta no componente curricular “Cuidado de enfermagem na Atenção Básica de Saúde”, do curso de Enfermagem da UFFS – Campus Chapecó, proporcionou esses movimentos. As últimas dinâmicas com agentes de saúde do município de Chapecó aconteceram nos dias 16 e 17 de junho.

O trabalho começou no início do semestre. As professoras envolvidas (Valéria Silvana Madureira, Liane Colliselli, Jeane Barros de Souza e Larissa Tombini) dividiram a turma em seis grupos e sortearam uma temática para cada um: HIV/Aids, Cuidar de si e do outro, Hepatites, Tuberculose, Hanseníase e Violência. As temáticas foram apontadas e posteriormente acordadas com servidores da Secretaria de Saúde de Chapecó.

Conforme a professora Liane, somente o tema Violência já havia sido tratado em sala. Os demais foram novidades para as estudantes. Assim, os grupos precisaram pesquisar, entender e discutir sobre os temas. Depois, cada grupo aplicou a dinâmica com a própria turma, recebendo as contribuições dos colegas e professoras. “Queríamos garantir que o conteúdo passado chegasse aos agentes com qualidade”, ressaltou a professora Liane.

Leia outras matérias completas:
Entrevista com  Ilda Angélica Correia, atual presidente da CONACS
Prefeitura de Belo Horizonte demite 200 agentes de endemias
Com apoio de tablets, ACS potencializam serviços de saúde nas comunidades do Paulista
Agentes de saúde buscam apoio da Câmara Municipal contra a "ressurreição" das Portarias
Empresário ensina moradora de rua a ler na hora do almoço
Direitos dos agentes comunitários de saúde são discutidos em Audiência Pública
Maracanaú/CE: Agentes de saúde visitam a Câmara em busca de apoio
Frente Parlamentar em Defesa dos Agentes de Saúde será instalada nesta quinta
CNM contra ataca os Agentes de Saúde em face da revogação das Portarias Perversas
Assú/RN: Secretaria Municipal de Saúde se reúne com Agentes Comunitários De Saúde
Agência Brasil entrevista o coordenador geral da MNAS, sobre o episódio da Portarias 958/959
Ministro quer apoio de agentes de saúde no combate à violência doméstica
Ministro da Saúde foi sensível a causa dos Agentes: Revogação das Portarias 958 e 959 é ...
Canal de monitoramento da Luta dos Agentes de Saúde em Brasília
Portarias criadas pelo Governo Dilma atendem proposta do Conasems, diz presidente do CONFEN
CNM, CONASS e CONASEMS têm interesse em manter as Portarias 958/959 

Em visitas técnicas, alguns grupos também puderam tirar dúvidas e pegar material para a distribuição nos dias da dinâmica. Após mais um tempo de adaptação dos trabalhos, elas partiram para a prática das oficinas. Foram quatro dias para que todas as dinâmicas fossem feitas com 240 dos 304 agentes de saúde de Chapecó.

O grupo que abordou a Hanseníase, do qual participou a estudante Denise Steffens Grazioli, fez três ilhas. Resumidamente, falou de conceito e dados na primeira; de tratamento e o papel dos agentes de saúde na segunda; e dos tipos da doença, além de receberem um feedback dos participantes, na terceira. Tratou dos testes de sensibilidade e montou um varal para que também fosse possível mostrar visualmente a doença e seus tipos. “Conseguimos passar todo conteúdo de maneira dinâmica. Houve interação: as que já tinham visto casos da doença, dividiram com os demais. Foi muito gratificante”, relatou Denise.

O grupo que tratou da tuberculose fez uma roda de conversa. Colocou perguntas de vários níveis dentro de balões (houve uma escala de cores, para que falassem primeiro da doença, sintomas e, mais tarde, tratamento, por exemplo). Cada participante estourava um balão, lia a pergunta e respondia, se soubesse. Se não soubesse, outra colega ajudava e, ao final, as estudantes de Enfermagem complementavam a resposta, sob a supervisão de uma das professoras.

Para a estudante Rozana Bellaver Soares, o trabalho em grupo é sempre desafiador. Mas o que facilitou foi o preparo anterior. “Quanto mais preparadas estamos com o conteúdo, mais fácil fica, mais confiante estamos e, assim, flui melhor o trabalho”, avaliou. Alessandra Paiz, que também esteve no grupo da Hanseníase, considera que as dinâmicas são mais trabalhosas do que uma palestra, por exemplo, mas trazem mais aprendizado.

A professora Liane, que ressaltou a importância e agradeceu muito a parceria com a Secretaria de Saúde, fez um balanço bastante positivo da experiência. “O SUS é o nosso espaço de prática. É o espaço para o qual estamos formando nossos futuros enfermeiros. Também estamos qualificando e ampliando a interação ensino-serviço. Buscamos nos aproximar dos serviços nesse sentido. E, ainda, é uma contrapartida da UFFS em relação aos serviços. No dia a dia vamos aos espaços com os estudantes para aprender, e essa é uma forma de contrapartida na educação permanente com os agentes comunitários”, frisou.

A avaliação com os agentes de saúde, segundo ela, foi bastante positiva “em relação à forma como eles receberam a capacitação, quando mencionaram que foi diferente das demais”.

Quanto à atuação dos estudantes, a professora elogiou os futuros enfermeiros. “O desempenho dos estudantes, de forma geral, foi muito bom. Eles são capazes de coisas maravilhosas! Aprimorou o conhecimento de forma significativa, além do exercício do trabalho em equipe”, finalizou a professora.

Reitoria e endereço para correspondência:

Av. Fernando Machado, 108 E • Centro Chapecó • Santa Catarina • Brasil
Caixa Postal 181 • CEP 89802-112 - Telefone (49) 2049 3100 - CNPJ 11.234.780/0001-50  
contato@uffs.edu.br  
Fonte: uffs.edu.br






https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif