quinta-feira, 28 de abril de 2016

Em greve, agentes de saúde cobram mediação do MP para conseguir melhorias

Categoria fez ato público em frente ao Ministério Público nesta quinta-feira

Em greve desde o começo do ano, reivindicando melhorias salarias e condições de trabalho, os agentes de saúde do município de Maceió fizeram um ato público, na manhã desta quinta-feira (28), em frente à sede do Ministério Público Estadual (MPE), no bairro do Poço. Eles buscam a mediação do órgão com a prefeitura para que a pauta da categoria seja atendida. Uma comissão dos grevistas foi recebida pela promotora Micheline Tenório.

Um grupo de mais ou menos 30 agentes se concentrou à porta da instituição antes de ser convocado para uma audiência na 26ª Promotoria de Justiça da Capital.

Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes de Saúde de Alagoas, Maurício Sarmento, os servidores pedem reajuste e melhor estrutura no trabalho. "Nossa reivindicação é que o município cumpra pelo menos o que diz a lei orgânica, que determina que seja dado o aumento de acordo com o IPCA [Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo]", destaca o representante.

Veja também:
MNAS se posiciona contra a proposta do Coren-MG de acabar com os Agentes Comunitários 
APOSENTADORIA ESPECIAL PARA OS AGENTES DE SAÚDE
MNAS saúda a nova presidente da CONACS e fala sobre a Paralisação Nacional do dia 18 de maio
3º Encontro Municipal dos Agentes Comunitários de Saúde é promovido em Pinhais
Sancionada lei que altera piso salarial dos agentes de saúde
Teresina/PI: Hanseníase e tuberculose: 400 agentes de saúde contraíram doenças de pacientes
Efetivação, reajuste salarial e pagamento de retroativo: Agentes de Parintins comemoram conquistas
Iguatu/CE: Agentes de saúde garantem o Incentivo Adicional (14º) após paralisação
Após críticas da MNAS, mais um município pagou o 14º Salário (Incentivo Adicional)
Agentes de Itapajéalém do 14º, têm garantido um incentivo mensal de 50%...
Prefeitura de Guaraciaba do Norte garante o pagamento do 14º dos Agentes Comunitários
Proposta dá adicional de insalubridade a agentes. Minha Casa Minha Vida está na pauta
Camocim/CE anuncia "Piso Nacional" e doação de motos aos Agentes Comunitários de Saúde

Sobre as condições de trabalho, ele disse que são precárias. "Não temos as mínimas condições necessárias. Falta uniforme e Equipamentos de Proteção Individual [EPIs]. Basicamente falta tudo e os agentes têm que ficar se arriscando sem a proteção adequada", reclama.

Sarmento lembra que a categoria está em greve há um mês e deve permanecer assim. Os serviços nos postos de saúde e atividades externas, a exemplo do combate às pragas, estão sendo mantidos pela metade, por força de ordem judicial. Ao todo, são 805 agentes de saúde que atuam na capital.

"Desde 2012, faltam equipamentos e, por isso, vamos ficar em greve por tempo indeterminado, até resolver a situação. Também reivindicamos que o pagamento da assistência financeira complementar, que o governo federal manda e o município não repassa", completa.

A Gazetaweb manteve contato e espera um posicionamento da Secretaria de Administração de Maceió sobre a pauta dos agentes de saúde.

Galeria do Sindicato dos Agentes de Saúde de Alagoas:








Fonte:  Gazetaweb e fotos do Sindicato dos Agentes de Saúde de Alagoas









https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif