terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Três reflexões de Martin Luther King que precisam ser relembradas

  Martin Luther King

Desde 1986, a terceira segunda-feira do mês de janeiro é dedicada à celebração do Dia de Martin Luther King nos Estados Unidos. A ideia é que o feriado nacional caia sempre em dias próximos ao do nascimento do pastor e ativista americano.

Nascido no dia 15 de janeiro de 1929, Martin Luther King, Jr., ficou conhecido mundialmente a partir da década de 50, quando se tornou o principal líder do movimento contra a segregação racial nos Estados Unidos.
O feriado de Martin Luther King, Jr. celebra a vida e o legado de um homem que trouxe esperança e cura para os Estados Unidos. Comemoramos também os valores que ele nos ensinou por meio de seu exemplo – os valores da coragem, verdade, justiça, compaixão, dignidade, humildade e serviço que definiam tão bem o caráter e empoderavam a liderança do Dr. King", escreve a viúva do pastor, Coretta Scott King. "Nesse feriado, comemoramos amor universal e incondicional, perdão e o repúdio à violência que faziam parte de espírito revolucionário."

No dia 28 de agosto de 1963, o pastor fez história ao compartilhar com o público seu discurso "Eu tenho um sonho", no qual relembra a necessidade de haver liberdade para os negros, bem como liberdade entre negros e brancos. O discurso é emocionante e, claro, é considerado um dos mais importantes da história mundial – vale lembrar que King teve sim ajuda para desenvolver o texto, no entanto, segundo o The New York Times, parte dele como o conhecemos foi improvisada no momento.


Em comemoração ao legado de Martin Luther King Jr., o site Vox separou três trechos emocionantes do discurso "Eu tenho um sonho" que valem ser lembrados. Repare que as reflexões podem ser trazidas para os dias de hoje – 53 anos depois. Leia abaixo:

A luta contra a segregação "Agora não é hora de se dar ao luxo de se acalmar ou tomar a droga tranquilizadora do gradualismo. Agora é hora de fazer as promessas reais da democracia. Agora é a hora de ascender da escuridão e do vale desolado da segregação para a trilha ensolarada da justiça racial."

A união faz a força "A maravilhosa nova militância que surgiu da comunidade negra não deve fazer com que nós desconfiemos de todos os brancos, pois muitos dos nossos irmãos brancos, como é comprovado pela presença deles aqui, perceberam que o destino deles está entrelaçado com o nosso destino. Eles perceberam que a liberdade deles está ligada à nossa liberdade. Não podemos andar sozinhos."

Luta pela igualdade "Para vocês que estão perguntando aos devotos dos direitos civis: 'quando você estará satisfeito?'. Nós não poderemos estar satisfeitos enquanto os negros são as vítimos das brutalidades indescritíveis cometidas pela polícia. Nós não podemos ficar satisfeitos enquanto nossos corpos, pesados com a fatiga das viagens, não podem se hospedar nos motéis das estradas e nos hotéis das cidades. Não podemos ficar satisfeitos enquanto a mobilidade básica do negro é de um gueto pequeno para um maior. Não podemos ficar satisfeitos enquanto as nossas crianças são despidas de suas dignidades por sinais que dizem 'somente para brancos'. Não podemos ficar satisfeitos enquanto houver um negro no Mississippi que não puder votar e um negro em Nova York que acredita que não tem nada pelo que votar. Não, não, nós não estamos satisfeitos, e nós não estaremos satisfeitos até que a justiça role para baixo como as águas, e a virtude como um córrego poderoso." Revista Galileu







Deixe o seu comentário no espaço abaixo!



https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif