sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Agentes de saúde receberão bônus de R$ 200 a para combater aedes aegypti

 Serão distribuídos aos 141 municípios pouco mais de R$ 20,1 milhões em recursos do Estado

Para Campo Verde serão liberados R$ 83 mil para investir nas ações e pagamento dos agentes até maio. Ari Miranda

Agentes comunitários de saúde e de combate a endemias dos municípios mato-grossenses passarão a receber R$ 200 a mais no salário como estímulo para intensificarem a atuação contra o mosquito aedes aegypti. A medida foi anunciada durante uma reunião com deputados, prefeitos e secretários de saúde de municípios de MT na quarta-feira (20) pelo governador Pedro Taques (PSDB) como uma das iniciativas do plano emergencial integrado lançado para evitar a proliferação do causador da dengue, chikungunya e zika vírus.

Leia outras publicações:
Agentes de saúde receberão bonificação para intensificar combate ao mosquito da dengue
O que os Gestores não Querem que os Agentes de Saúde Saibam...
Pesquisa realizada pela MNAS: Prefeitura que PAGARAM o Incentivo Adicional (14º)
Após críticas da MNAS, mais um município pagou o 14º Salário (Incentivo Adicional)
MNAS defende uma Greve Nacional para 2016, ainda no início do ano
Agentes de Itapajéalém do 14º, têm garantido um incentivo mensal de 50%...
Prefeitura de Guaraciaba do Norte garante o pagamento do 14º dos Agentes Comunitários
Dilma corta ilegalmente R$ 270 milhões do Incentivo Adicional dos Agentes Comunitários
MNAS declara que o MS prejudicou o Brasil ao diminuir o número de ACE's
Portaria 2031/15: Garante 14º aos Agentes de Combate às Endemias
Vídeo: Coordenador da MNAS fala ao Canal Saúde/Fiocruz sobre o descontentamento

Segundo Taques, o Estado deverá enviar recursos às Prefeituras para realizar a complementação salarial de R$ 200 entre fevereiro e maio. Atualmente, um agente recebe cerca de R$ 800, de modo que a complementação deverá equivaler a um 14º salário, nas palavras do governador.

“Nós reconhecemos a importância desses profissionais e o estado de Mato Grosso está estudando a questão orçamentária para que esses valores não possam ser retirados depois desses quatro meses”, assegurou Taques no lançamento do plano emergencial de enfrentamento ao aedes aegypti.

Além da complementação salarial dos agentes, o Estado se comprometeu a auxiliar financeiramente os municípios para as ações de vigilância epidemiológica e combate às endemias. Serão distribuídos aos 141 municípios pouco mais de R$ 20,1 milhões em recursos do Estado, dos quais R$ 82.936 serão repassados ao município de Campo Verde.

A secretária de Saúde de Campo Verde Sandra Badoco, participou juntamente com agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias da reunião na capital e, destacou em entrevista que a medida tomada por Pedro Taques demonstra a preocupação do governo estadual e comprometimento na luta contra o mosquito da dengue. “Esse é um momento muito importante onde os maiores envolvidos são os agentes de saúde e os de combate a endemias, pois são eles que estão no dia a dia em contato com a população e esse complemento salarial, bem como as capacitações fazem com que estes profissionais sejam de fato valorizados”, destacou.

O recurso para as bonificações será depositado em parcela única na conta do Fundo Municipal de Saúde e, segundo Sandra, o repasse realizado pelo governo de MT deverá entrar em conta nos próximos dias e que existem regras a ser cumpridas. “Para este recurso ser gasto deveremos, após 60 dias da liberação do valor, apresentar ao governo estadual um plano de ação juntamente com a prestação de contas a fim de apresentar resultados e dar lisura ao processo”, pontuou.

Sandra Badoco elencou ainda algumas das dificuldades enfrentadas
diariamente pelos agentes de combate as endemias, entre elas o fato de moradores impedirem a entrada dos agentes em suas residências, sendo necessário em muitos destes o auxílio das forças de segurança, entre elas Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. “Outra dificuldade recorrente é a falta de consciência de alguns cidadãos, que precisam entender que o agente de combate a dengue está ali não para fazer a limpeza do quintal e sim localizar possíveis focos e criadouros do mosquito aedes aegypti”, ressaltou.

A secretária de Saúde deu ênfase ainda a situação enfrentada pelos agentes quanto aos terrenos baldios. “Nossos agentes estão fazendo o possível para impedir a proliferação do mosquito, porém se esbarram na falta de consciência de algumas pessoas. Já houveram várias situações em que eles [agentes] fizeram a retirada de objetos que acumulam água, conversam com os cidadãos, porém ao retornar cinco dias após para fiscalizar encontram a mesma situação de antes: lixo, água parada e novos criadouros”, disse.

A população precisa entender que estamos de fato em uma guerra e que este é um problema de todos. Não adianta achar que vai acontecer só com seu vizinho. Qualquer pessoa pode ser vítima da dengue,  chikungunya ou do zika vírus. Pedimos a todos a colaboração e o envolvimento nessa luta contra o aedes aegypti”, finalizou. Fonte: Jornal O Diário







Deixe o seu comentário no espaço abaixo!



https://lh3.googleusercontent.com/-15TawoL0n0U/UPBtbni031I/AAAAAAAAHbw/K2NBNp4QKoM/s675/facebook-comments.gif