segunda-feira, 21 de abril de 2014

HANSENÍASE - Agentes Comunitários integram Projeto inovador na região Salmen


Bairros da região da Vila Olinda e Parque Universitário, totalizando uma população estimada de 28.170 pessoas, serão beneficiados com projeto contra hanseníase

O município de Rondonópolis é um dos cinco municípios mato-grossenses contemplados com o projeto “Ações Inovadoras em Hanseníase”, do Governo Federal, com foco nos municípios com alto índice de casos de hanseníase no Brasil. Localmente, vai abranger a área de atuação de cinco unidades do Programa de Saúde da Família (PSF): Vila Mamed, Industrial, Dom Bosco, Vila Olinda e Parque Universitário. Para promover o projeto, a Prefeitura de Rondonópolis recebeu R$ 400 mil.
O enfermeiro do Programa de Hanseníase e Tuberculose, Lourenço Ribeiro da Cruz Neto, informou ao Jornal A TRIBUNA que o projeto vai iniciar as primeiras visitas nas residências da região no fim deste mês de abril e será desenvolvido durante todo este ano. A partir da iniciativa, pretende-se melhorar o atendimento aos pacientes de hanseníase nos PSFs, e melhorar a estrutura do centro de referência em hanseníase, que está funcionando no prédio público localizado na praça do bairro Santa Cruz, com equipamentos para exames, mobiliário, computador e instrumental.

Conforme Lourenço Ribeiro, o projeto está formando 20 duplas, integradas por um agente comunitário de saúde e um enfermeiro, ou técnico de enfermagem ou acadêmico de enfermagem, havendo parceria da UFMT e Unic. Cada dupla terá uma área determinada para fazer visitas aos moradores. A iniciativa será realizada aos sábados, pois é mais fácil encontrar os moradores em casa. O profissional explica que será feito um exame dermatológico. Os casos suspeitos serão notificados e encaminhados para unidade de saúde para avaliação médica. Se confirmado o diagnóstico, inicia-se o tratamento de imediato.

Ao todo, Lourenço Ribeiro informa que uma população estimada de 28.170 pessoas será beneficiada com o projeto, cujo objetivo principal é descobrir, de forma precoce, casos de hanseníase, antes que se transmita para outras pessoas. Mesmo que esteja em estágio avançado, atesta que pretende-se quebrar a cadeia de transmissão da doença. Os dados coletados serão repassados ao Ministério da Saúde. Ele reforça que o intuito é descobrir o maior número de casos e promover o tratamento. Apesar de haver casos de hanseníase em todas as regiões da cidade, a região da Vila Olinda foi escolhida por ser a de maior incidência.

Mensalmente haverá presença de representantes do Ministério da Saúde
, para supervisão do projeto. Caso tenha bons resultados nesta primeira fase, o enfermeiro do Programa de Hanseníase e Tuberculose explica que outras regiões da cidade podem ser contempladas. A meta é que nos próximos anos todas as regiões da cidade sejam beneficiadas com essa iniciativa.
Em Rondonópolis, o projeto terá a supervisão do Departamento de Ações Programáticas, do Departamento de Saúde Coletiva e do Departamento de Atenção à Saúde.





Deixe o seu comentário no espaço abaixo!

Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde (ACS e ACE)  
MNAS no MSN: MNAgentesdeSaude.groups.live.com  
Canal no YouTube: www.youtube.com/mobilizacaodosacs  
No Facebook: www.facebook.com/groups/agentesdesaude   
No Grupo Yahoo!: br.groups.yahoo.com/group/agentedesaude   
Ferramenta no Inforum: Fórum no Inforum   
Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil e MNAS: www.agentesdesaude.com.br
Fonte: atribunamt.com.br