quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Prevenção reduz contaminação de Aids em menores.


Ações da Rede Cegonha reduziram a incidência de casos entre menores de 5 anos no Pará

A contaminação do vírus HIV em crianças paraenses menores de 5 anos está caindo no Pará. Um levantamento da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) mostra que, de 2009 a 2011, a taxa de incidência por 100 mil habitantes oscila entre 0,01% a 1,60%. Um percentual pequeno, mas considerado significativo se comparado ao apresentado em 2008, quando se registrou 4,07%.
Uma das explicações apontadas para essa baixa é a política nacional de prevenção de doenças que põem em risco a saúde da gestante e do bebê antes e depois do parto, denominada Rede Cegonha. Por meio desse programa do Ministério da Saúde (MS), operacionalizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), busca-se ampliar o acesso, melhorar o acolhimento e e a qualidade do pré-natal, promovendo a vinculação das gestantes às unidades de referência para assistência ao parto, além de um acompanhamento rígido, através de práticas de atenção.
'A Rede Cegonha é uma estratégia do governo que garante a todas gestantes, incluindo as com HIV, um parto seguro para a mãe e à criança. Por este motivo, intensificou-se a realização do teste de HIV logo nos primeiros meses da gravidez, para que o acompanhamento seja dado a ela se o resultado do exame for positivo', explica a coordenadora estadual do Programa de DST/Aids, Deborah Crespo.
A programação da Semana de Luta contra o HIV foi aberta hoje(29/11), às 9h, pela Sespa na Unidade de Referência Materno Infantil e Adolescente (Uremia), em Belém. A programação segue até domingo.
Bebês são infectados pela mãe na gestação - Desde o ano 2000, o Ministério da Saúde tem registrado um declínio de casos de Aids no público infantil, apesar de não ter seguido o mesmo patamar em todo o País. Até a última década, as regiões Norte e Nordeste aparecem entre as regiões que menos apresentaram bons resultados.
Naquele período, a contaminação de menores de 5 anos passou de 5,4 casos para três por cada 100 mil habitantes. Enquanto no Sudeste, a redução foi de 8,2 para 2,8 crianças infectadas. No Norte, o número de casos subiu de 1,9 para quatro casos por 100 mil habitantes.
Nessa faixa etária, a contaminação vertical é a que prevalece. Por este motivo, a conclusão foi a de que somente a partir do pré-natal de qualidade e realização dos testes de doenças infectocontagiosas, como o teste rápido para HIV e Hepatites, seria possível reduzir os casos de Aids.
A coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids e HIV, a psicóloga Francisca Vidigal, informa que na Casa Dia estão cadastradas, atualmente, 38 crianças com idade de zero até os 13 anos, que recebem acompanhamento permanente para identificar as manifestações do vírus enquanto o corpo ainda carregar os anticorpos da mãe, portadora do vírus.
Tratamento livra crianças de portar vírus - Prova de que filhos de soropositivos podem ter vida saudável, a pequena Ester, de um ano e seis meses, é uma das crianças apontadas como livre da contaminação do vírus. Ela é filha do casal Marta, de 39 anos, e Greicio, de 40 anos, soropositivo há quase 20 anos, do município de Redenção, no sudeste paraense.
Um dos méritos para a menina não fazer parte da lista dos infectados pelo vírus da doença foi a atitude da mãe em se submeter, rigorosamente, ao serviço da Rede Cegonha desde os primeiros meses de gravidez. Assim como, ingerir duas horas antes do parto os retrovirais e o pediatra administrar a ela a medicação após o seu nascimento.
'Por causa do cuidado que houve durante a gravidez, o parto e o que dedicamos até hoje a ela, a nossa filha é uma criança saudável', declara com satisfação Greicio. Se fossem leigos, Greicio e a esposa não teriam seguido adiante para realizar o sonho de ter um filho.
Mas, o engajamento dos dois na luta contra a Aids é tanta, ao ponto de assumirem o comprometimento de criar há seis anos a ONG Renascer Vida, com o objetivo de fazer a prevenção da doença e dar apoio às pessoas do interior do Estado.

Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS 
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde (ACS e ACE)
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Jornal dos ACS e ACE: bit.ly/MNASJornal
MNAS no MSN: MNAgentesdeSaude.groups.live.com
Canal no YouTube: www.youtube.com/mobilizacaodosacs 
No Orkut: www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=88080356 
No Facebook: www.facebook.com/groups/agentesdesaude 
No Grupo Yahoo!: br.groups.yahoo.com/group/agentedesaude
Ferramenta no Inforum: Fórum no Inforum
Fonte:
O Liberal