quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Projeto cria PECS dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Sanitaristas

José do Carmo (PSL) comandou audiência pública sobre a realidade dos agentes - Foto: Evilázio Bezerra
Divulgação do Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil 


Enviado à Câmara de Municipal de Fortaleza em 28 de dezembro de 2011 pelo Poder Executivo, o Plano de Empregos, Carreiras e Salários (PECS) dos Agentes Comunitário de Saúde e dos Agentes Sanitarista da Capital entrou na pauta desta quinta-feira, 3, e foi encaminhado às Comissões Permanentes da Casa. O Projeto de Lei nº 001/2012, que enquadra 3.050 Agentes de Saúde e 1.800 Agentes de Endemias, atende a reivindicação da categoria por melhores condições de emprego, de acordo com a mensagem do Executivo.

No ano passado, a Câmara Municipal de Fortaleza realizou audiência pública com os agentes que reivindicavam melhores condições de trabalho, e um dos pontos era o Plano de Carreiras. O debate foi proposto pelo vereador José do Carmo (PSL), e contou com a participação de servidores e representantes do Poder Executivo.

“A presente medida é mais uma ação no contexto da política de valorização dos profissionais da Saúde, permitindo a reorganização do sistema de remuneração e desenvolvimento das carreiras, através da promoção por capacitação e progressão por tempo de serviço”, justificou a prefeita Luizianne Lins. A proposta garante ainda o Incentivo de Titulação aos Agentes Comunitários e Sanitaristas. Esta gratificação será concedida por meio de apresentação de certificados ou títulos que ultrapassem a escolaridade exigida para ocupar os cargos de Agentes.

Na implementação do PECS, os profissionais serão classificados em quatro categorias dividindo o estágio de carreira. A proposta especifica 26 padrões de salários, podendo a progressão salarial ser vertical ou horizontal. Do padrão 1 ao 4, o salário pode variar entre R$ 600,00 e R$ 636,72 reais. No primeiro nível os Agente poderão chegar ao padrão 23, com uma progressão entre R$ 600,00 e R$ 927,59; o nível II, com progressão até o padrão 24, a remuneração varia entre R$ 612,00 e R$ 946,14; no nível três, com classificação até o padrão 25, o agente receberá de R$ 624,24 até R$ 965,06; e o nível quatro, com progressão até o padrão 26, terá uma variação entre R$ 636,24 e R$ 984,36.

Para atingir os padrões especificados os Agentes Comunitários e Sanitaristas deverão apresentar certificação em cursos compatíveis com a área que exerce e com carga horária mínima de 180hs/aula. As promoções poderão ser implementadas a cada 3 anos. A progressão por tempo de serviço, ou seja, os profissionais que continuam na mesma classificação também poderá avançar de padrão salarial, sendo a mudança de faixa a cada 2 anos.

A PECS também modifica a nomenclatura de Agente Sanitarista para Agente de Endemias. A matéria especifica os requisitos para ingresso nos cargos e a descrição das atribuições dos Agentes Comunitários de Saúde e Sanitaristas. A proposta será apreciada pelas Comissões de Legislação e de Orçamento da Câmara.

Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde (ACS e ACE)
Seja voluntário da MNAS, Clique aqui e nos envie o seu cadastro!
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Jornal dos ACS e ACE: bit.ly/MNASJornal
MNAS no MSN: MNAgentesdeSaude.groups.live.com
Canal no YouTube: www.youtube.com/mobilizacaodosacs 
No Orkut: www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=88080356 
No Facebook: www.facebook.com/groups/agentesdesaude 
Ferramenta no Inforum: Fórum no Inforum


Fonte na web: cmfor.ce.gov.br