quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Diário da Amazônia: Epidemia ronda quatro municípios

Divulgação do Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil
Quatro municípios rondonienses aparecem no Mapa da Dengue, divulgado pelo Ministério da Saúde. O levantamento aponta as cidades onde há risco de uma epidemia, caso o combate ao mosquito transmissor da doença não seja intensificado. Buritis, Espigão do Oeste, Ouro Preto e Porto Velho estão em alerta para um possível surto da dengue.

Os dados são do Levantamento Rápido de Infestação por Aedes Aegypti (Liraa). A pesquisa não identifica os casos de dengue nas cidades, mas mostra em quais localidades há mais focos do mosquito transmissor, que não deve ultrapassar 1% dos imóveis – este seria o índice recomendado pelas autoridades em saúde, para se evitar um surto da doença. Os dados apresentados pelo Ministério da Saúde foram coletados em 561 municípios nos meses de outubro e novembro deste ano.

Pela primeira vez, nos últimos três anos, o município de Ariquemes não aparece no Mapa da Dengue. Neste período a população enfrentou uma epidemia, sendo necessária uma força tarefa para fazer a limpeza dos imóveis, como medida para eliminar os criadouros do mosquito.
O Liraa de Ariquemes ficou em 0,9% (quantidade de casas infectadas a cada 100 residências). De janeiro a novembro foram notificados 158 casos, sendo que 25 foram confirmados para dengue clássica, um para dengue hemorrágica e outro para dengue com complicação – neste período nenhuma morte foi registrada.

Para o coordenador do Combate a Endemias, Fábio Gonçalves de Lima, os problemas causados pela dengue em anos anteriores ensinaram que o trabalho de prevenção é a melhor alternativa para se controlar a doença. “Não adianta a gente querer fazer prevenção só no período de chuva. Esse é um trabalho que precisa ser feito o ano inteiro”, explica.

Uma das estratégias de prevenção a dengue foi realizada nas escolas públicas. “O trabalho de educação é super importante, porque você coloca a dengue em evidência o ano todo e estimula os estudantes e a população a fazerem a prevenção”, explica.

MULTA

Mas não foi apenas com trabalho educativo que Ariquemes conseguiu reduzir os índices de contaminação. Nos 11 primeiros meses do ano os agentes de saúde notificaram 1,2 mil imóveis com focos do mosquito, que se transformaram em 100 multas. “A multa é uma medida extrema, só é aplicada quando o cidadão não elimina o foco de dengue que foi encontrado em seu imóvel”, explica Clarismundo Lopes, um dos coordenadores do Combate a Dengue na cidade.
A multa para quem não elimina os focos do mosquito da dengue vai de R$ 80,00 até R$ 4 mil, dependendo se o imóvel é residencial ou comercial.


Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde (ACS e ACE)
Seja voluntário da MNAS, Clique aqui e nos envie o seu cadastro!
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Jornal dos ACS e ACE: bit.ly/MNASJornal
MNAS no MSN: MNAgentesdeSaude.groups.live.com
Canal no YouTube: www.youtube.com/mobilizacaodosacs
No Orkut: www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=88080356
No Facebook: www.facebook.com/groups/agentesdesaude
No Grupo Yahoo!: br.groups.yahoo.com/group/agentedesaude
Ferramenta no Inforum: Fórum no Inforum


Fonte na web: www.diariodaamazonia.com.br