sábado, 4 de junho de 2011

Agentes Comunitários de Saúde participam de encontro em Juiz de Fora

Em 2002, a partir da Lei nº 10.507 foi criada a profissão de Agente Comunitário de Saúde (ACS), profissional que é parte integrante da estratégia do Programa Saúde da Família (PSF). O ACS integra a Equipe de Saúde da Família (ESF), juntamente com médicos, enfermeiros, dentistas e técnicos de enfermagem e, por meio de ações individuais ou coletivas, realiza atividade de prevenção de doenças e promoção da saúde.

Buscando esclarecer o ACS sobre sua importância e suas devidas atribuições dentro do trabalho de equipe onde cada integrante tem sua especificidade, foi realizado nesta sexta-feira, 03/06, o 1º Encontro de Agentes Comunitários de Saúde de Juiz de Fora e Zona da Mata, com o tema, “A Importância do ACS e suas Atribuições”. O evento promovido pelo Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias da Zona da Mata de Minas Gerais (SINDACE-ZMMG) teve o apoio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), por meio da Superintendência Regional de Saúde de Juiz de Fora (SRS-JF), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), da Agência de Cooperação Intermunicipal em Saúde Pé da Serra (Acispes), do Conselho Municipal de Saúde de Juiz de Fora e da Nova Central Sindical dos Trabalhadores de Minas Gerais.

Presente na abertura do encontro, o superintendente da Regional de Juiz de Fora, Cláudio Reis, afirmou que uma das características mais importantes do PSF é o trabalho em equipe, a junção de todas as atribuições de cada membro e o ACS é personagem fundamental para que o PSF alcance o objetivo de promover a saúde para a população, ofertando uma atenção primária digna. “Este encontro deve ser visto como o momento de debater o que podemos melhorar, de trocar experiências exitosas para que bons frutos sejam colhidos. Nos últimos 10 anos Minas reduziu significativamente o índice de mortalidade infantil e muito disto deve-se ao trabalho das equipes de saúde da família, da qual o ACS faz parte. O Estado é parceiro desse encontro e com certeza nos esforçaremos para que outros sejam realizados”.

A coordenadora do SINDACE-ZMMG, Rita Duque, destacou que o encontro é um momento de crescimento e enriquecimento para os agentes. “Que este encontro seja o primeiro de muitos, pois experiências como esta são importantes para que tenhamos condição de aprimorar cada vez mais sobre nossas atribuições, sobre o trabalho que devemos prestar à população, um serviço que deve ser ofertado com qualidade e principalmente carinho. Nós agentes somos um elo entre a comunidade e o sistema de saúde, já que nosso trabalho, desenvolvido de casa em casa, proporciona que tenhamos um relacionamento mais estreito com o usuário”.

Segundo a subsecretária de Atenção Primária da PJF, Adriana Moreira de Carvalho, ser ACS não é fácil, mas sim um desafio, pois trabalhar em equipe não é simples. “O agente, como outros profissionais, só consegue oferecer uma saúde de qualidade para a população através do trabalho, da ação, e da reflexão, e, neste encontro, o ACS tem a oportunidade de refletir, de pensar o que quer, o que busca e o que pode fazer para tornar o atendimento à comunidade mais humanizado”.

Sidnei Scalioni, diretor executivo da Acispes, ressaltou que “ao apoiar o evento, o Consórcio não faz nada além de cumprir seu propósito que é promover a saúde e a constante melhoria dos serviços”.

ACS
Para a professora emérita da Universidade Federal de Minas Gerais, Maria Rizoneide Negreiros, “o ACS é o agente de transformação social mais importante que integra a equipe de saúde. Para ser este agente, ele de fato precisa ter compromisso social, gostar do que faz, ter prazer com as pequenas realizações e saber transmitir para o outro o seu saber”.

De acordo com ela, são atribuições do ACS: a identificação de gestantes o mais precocemente possível; a busca ativa de portadores de doenças crônicas e acompanhamento do tratamento dos mesmos; a notificação de doenças compulsórias; o desenvolvimento do conceito de humanização; a participação no controle social e, principalmente, ser um excelente comunicador social para orientar a comunidade para utilização adequada dos serviços de saúde, entre outros.

“O grande diferencial do PSF são os agentes, que fazem um trabalho de conscientização da população, que vão às casas, acolhem as famílias, ouvem suas dúvidas, suas histórias o que muitas vezes é mais importante do que o medicamento”, salientou.

Jane Lúcia Rodrigues Braga, coordenadora do Núcleo de Atenção Primária à Saúde da SRS-JF, lembrou que “ser agente é ser a mola propulsora para a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS); é viver dia a dia a vida da comunidade; é ser a ligação entre a população com suas necessidades de saúde e os profissionais da equipe de saúde da família; é ser o profissional que se identifica, em todos os sentidos, com a comunidade”.

Segundo dados apresentados por ela, nos 37 municípios que fazem parte da SRS-JF existem 915 Agentes atuando em 158 ESF, beneficiando assim uma população de 442.361 habitantes.

Minas Gerais
Por meio do Saúde em Casa, lançado pelo governo de Minas Gerais em abril de 2005 com o objetivo de ampliar e fortalecer o Programa Saúde da Família (PSF), o Estado destina R$ 61 milhões/ano aos municípios onde as equipes do PSF atuam. Os recursos podem ser aplicados na qualificação de pessoal, obras em postos de saúde, compra de equipamentos médicos e de material de consumo.

A prioridade do Saúde em Casa é a promoção da saúde e a prevenção de doenças e o PSF é um importante aliado na concretização das metas estabelecidas pelo governo do Estado para garantir mais saúde e a melhoria da qualidade de vida da população.

As principais metas são a redução do número de internações hospitalares, a redução da mortalidade materna e infantil e a cobertura vacinal de 95% da população infantil.

Com os investimentos do Saúde em Casa, pretende-se que sejam 4.100 equipes em funcionamento em dezembro de 2011. No mês de abri de 2011, Minas Gerais contabilizou 4.066 equipes do PSF, com 25.636 agentes comunitários (PSF) atuando em 813 municípios, com cobertura de 70,01% da população.

Agência Minas, acesse aqui as notícias do Governo de Minas. Acompanhe também no http://www.youtube.com/agenciaminasgerais

Autor: Marcella Marques

Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde coordenada por Samuel Camelo


Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.agentesdesaude.official.ws

Fonte na web: www.saude.mg.gov.br