sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Greve de agentes da saúde continua e prefeito não negocia

Greve de agentes de saúde já dura 24 dias e não há previsão para terminar

“Não voltem a trabalhar, continuem em greve porque agora a decisão é judicial”. Segundo um dos representantes da manifestação que não quis ser identificado, estas foram as palavras do prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho, aos agentes de saúde que realizam manifestação em frente à prefeitura da Capital na manhã desta sexta-feira (28).

Cerca de 200 agentes de saúde e de controle de epidemiologia estão distribuídos pela avenida Afonso Pena com cartazes escritos reivindicando seus direitos. O trânsito não foi prejudicado, muitos motoristas passam buzinando e os agentes respondem com gritos e assovios.

A paralização já dura 24 dias. Segundo os agentes, a greve não se refere ao aumento do salário, e sim ao valor recebido referente a produtividade que é de R$ 173,00.

Foi enviado às mãos do prefeito, documento em forma de decreto com as propostas dos valores. “Já mandamos em forma de decreto que é para ele não ter que escrever”, destaca um dos manifestante.

De acordo com Antonio Carlos da Silva, agente epidemiológico e um dos representantes da organização, Nelsinho disse em um determinado momento que “não poderia mais falar sobre o assunto, pois alega que o caso está na justiça”.

Quando o agente Amado Cheik, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública em Campo Grande, solicitou que o prefeito recebesse representantes da categoria, Nelsinho o lembrou que no último ofício que recebeu da entidade, havia o compromisso de que as negociações continuariam em 2011 e que os servidores aguardariam o período que antecede a data-base de todos os servidores municipais, em maio.

Outro fator a ser reivindicado é em relação à proteção desses agentes que trabalham de sol a sol e não recebem protetor solar para se protegerem dos raios ultravioletas. Além disso os trabalhadores pedem adicional de salubridade, pois alegam risco ao manusear produtos químicos dentro das residências da população.

A manifestação ocorre de forma tranquila e deve parar ao meio dia. Em seguida os agentes continuam com a missão de recolher assinaturas da população. Os trabalhadores pedem compreensão da população e que se sensibilizem com a situação.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) decidiu aplicar multa de R$ 25 mil/dia contra a categoria. Mesmo com a decisão judicial, a paralisação se mantém.


Por Valquíria Oriqui - Capital News (http://www.capitalnews.com.br/)


Veja também:

20/01/2011 - 10:51
Agentes em greve terão seus salários cortados, afirma Secretário

14/01/2011 - 11:25
Nelsinho viaja a Brasília e se reúne com ministros das cidades e da saúde

13/01/2011 - 10:53
Comissão da prefeitura convoca agentes de saúde em greve

10/01/2011 - 16:19

Prefeitura reafirma que não negocia com servidores enquanto a greve continuar

07/01/2011 - 14:42
Agentes de saúde permanecem em greve mesmo após decisão a favor da Prefeitura

07/01/2011 - 08:10
Sindicato dos agentes de saúde pode receber multa diária de R$ 25 mil por dia de greve

05/01/2011 - 11:53
Prefeito recorrerá a justiça trabalhista contra greve de agentes e ameaça corte de pontos

04/01/2011 - 16:35
Agentes de saúde e de epidemiologia iniciam greve em Campo Grande

05/01/2010 - 13:31
Com agenda de negociação com Prefeitura, agentes de saúde voltam ao trabalho, mas
sem aumento salarial




Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde coordenada por Samuel Camelo

Blog: www.mobilizacaonacional.kit.net/blog
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.mobilizacaonacional.kit.net

Fonte na web: www.capitalnews.com.br