domingo, 7 de novembro de 2010

Queimadura infantil é tema de capacitação

Cerca de 80% dos casos de queimadura que envolve crianças podem ser evitados com atitudes simples dos pais ou responsáveis

REPORTAGEM: IRENE ALVES, 4º SEMESTRE MATUTINO

Capacitar profissionais, agentes comunitários de saúde e lideranças da Pastoral da Criança na área de prevenção de queimadura infantil é o objetivo de um curso de capacitação, realizado no último sábado (dia 30). A pediatra Rosana Hashimoto, diretora dos Serviços Especiais de Saúde da Secretaria de Saúde de Londrina, afirma que a adesão dos agentes de saúde foi satisfatória, bem como a participação dos líderes da pastoral.

Para a médica, a ação foi bem recebida já que a queimadura é um acidente que pode ser prevenido na sua grande maioria e todo mundo entende que o melhor tratamento é a prevenção, evitar que ela aconteça e isso chega, segundo a pediatra, a 80% dos casos com atitudes relativamente simples.

O líder da Pastoral da Criança Olímpio Luiz de Souza, responsável pelas cidades de Sertanópolis, Bela Vista do Paraíso e região, diz que a capacitação vem ao encontro do interesse da pastoral que atende crianças de zero a 6 anos. Segundo ele, o conteúdo da capacitação demonstrou que o ambiente familiar pode ser perigoso para as pessoas que não estejam atentas aos perigos existentes nos seus afazeres. Ele afirma que espera novas capacitações para que todos os líderes em seu trabalho junto às comunidades possam usar a mesma linguagem e orientar as mães, que cuidam de várias crianças a ficarem atentas aos perigos da queimadura infantil.

A enfermeira Margarete Araújo Andrade, que trabalha no Centro de Tratamento de Queimados de Londrina, afirma que as queimaduras mais frequentes são por escaldo de líquidos quentes como café, água de arroz, óleo e acidentes com álcool líquido. Segundo ela, os principais cuidados são não deixar a criança na cozinha, os cabos das panelas não devem estar virados para frente, guardar álcool e todos os produtos químicos inflamáveis longe do alcance das crianças e ainda cobrir todas as tomadas elétricas.

A psicóloga Ana Lilian Pareli explica que os pais devem ser responsabilizados e não culpados pelos acidentes, o que significa que esses pais devem ser orientados a não usar álcool em casa, a não deixar os filhos sozinhos na cozinha. Muitas mães jovens precisam de ajuda e orientação, até para que acidente não se repita. Segundo ela prevenir é enxergar os riscos e agir antes da criança.

O aspirante a oficial do Corpo de Bombeiros Angelino José de Siqueira, durante a capacitação, falou sobre como evitar incêndios. Segundo ele, é preciso não deixar crianças sozinhas próximas a fontes de calor como isqueiros, fósforos, velas e tomar cuidado com botijão de cozinha. Siqueira alerta para o fato de quando uma panela com óleo quente pega fogo, não se deve jogar água, porque isso causa uma reação, que pode levar a uma explosão. O correto é abafar a panela com um pano úmido por cima do recipiente e desligar o fogo e o botijão de gás.


Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde coordenada por Samuel Camelo

Blog: www.mobilizacaonacional.kit.net/blog
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.mobilizacaonacional.kit.net

Fonte na web: www12.unopar.br