sábado, 23 de outubro de 2010

Superbactéria chega a Pernambuco, diz Saúde

No Estado, a KPC infectou quatro pessoas, que estão isoladas

RAPHAEL COUTINHO Especial para a Folha Com Agência Estado

Foram confirmados ontem, pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), através da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária, quatro casos da superbactéria em dois hospitais de Pernambuco, sendo um público e outro privado. As quatro pessoas desenvolveram a bactéria Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC) depois de serem internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), onde os microorganismos constumam se desenvolver. Conforme recomendação da Anvisa, os quatro homens estão isolados e sendo tratados por uma equipe exclusiva, reduzindo ao máximo o risco de transmissão. Eles estão sendo medicados com antibióticos de última geração, dentro do protocolo médico indicado.

Dois pacientes sofreram acidente vascular cerebral (AVC), foram internados na UTI e desenvolveram a infecção. Em outro caso, o paciente sofreu um AVC e está colonizando a bactéria, sem apresentar quadro infeccioso. Ele teve alta da UTI, se recupera em um apartamento e seu quadro teve uma sensível melhora. Em um hospital da rede pública, um homem deu entrada na UTI, também com quadro de AVC e desenvolveu a infecção nas vias respiratórias. Ele se recupera bem e não respira mais com a ajuda de aparelhos.

A confirmação dos casos se deu a partir de coletas de fezes e urina dos pacientes e constatadas através de análises clínicas nas unidades em que os pacientes estão internados. De acordo com a SES, o paciente pode desenvolver a bactéria dentro do próprio organismo ou através das mãos dos profissionais de saúde ou materiais contaminados.

O Espírito Santo confirmou um caso de contaminação pela superbactéria KPC, ontem. O Ministério da Saúde confirma a existência da KPC no Distrito Federal, em São Paulo e Paraná. A Secretaria de Saúde da Paraíba registrou 18 casos da superbactéria KPC desde abril de 2009. O órgão informou que todas as notificações foram feitas pelo Hospital Universitário, em João Pessoa, mas que ainda não foi feito levantamento de mortes. Na Bahia, há dois casos suspeitos, de pacientes de Salvador. A Secretaria de Saúde do Estado não soube informar a idade dos pacientes e se eles ainda estão internados ou se morreram. Não há previsão de quando os exames serão concluídos.

Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde coordenada por Samuel Camelo

Blog: www.mobilizacaonacional.kit.net/blog
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.mobilizacaonacional.kit.net

Fonte na web: www.folhape.com.br