quarta-feira, 15 de setembro de 2010

PACS/PSF – os programas que mudaram a estrutura da saúde comunitária no Brasil hoje sofrem deficiência grave.

Com o nascimento do PACS “Programa de Agentes Comunitários de Saúde” no ano de 1991, ampliou-se a comunicação do paciente com as unidades de tratamento, palestras educativas e preventivas diminuíram satisfatoriamente o numero de doenças num geral. Em 1994 o Brasil remonta sobre o PACS uma extensão chamada PSF “Programa Saúde da Família” na verdade o PFS não seria um programa em si e sim uma Estratégia para a saúde das famílias na comunidade. O PSF da à população, acesso direto de profissionais capacitados e especializados para um diagnostico exato e uma prevenção eficaz. Equipes capacitadas com médico, fisioterapeuta, psicólogo, enfermeiro, odontólogo, auxiliar/técnico de enfermagem e outros profissionais chegam à comunidade através do ACS “Agente Comunitário de Saúde” para prevenir, tratar e erradicar o problema. O ACS é fundamental na imunização de crianças e adultos contra vírus e doenças infecciosas. Como conseqüência de um processo de des_hospitalização e humanização do Sistema Único de Saúde, o PSF tem como ponto positivo a valorização dos aspectos que influenciam a saúde das pessoas fora do ambiente hospitalar.

Em Alto Alegre dos Parecis, o PACS veio na decada de 90 e revolucionou a educação básica comunitaria, mais tarde vem o PSF e complementa a necessidade preventiva educativa e curativa.

Os programas de referencia do Sistema Único de Saúde vem enfrentando problemas internos nos ultimos anos. Os Municipios recebem um valor determinado por equipe/profissionais. Salarios defazados, inadimplencia profissional e abandono de serviço assombram algumas equipes em muitos lugares do Brasil. Afastamento de AGENTES por dois anos e desvio de função estão entre os maiores problemas que causam transtorno no sistema. Quando um ACS pede afastamento ou sai de suas atividades num desvio de função, o sistema de informações (SIAB) precisa ser alimentado para que o mesmo não seja demitido por abandono de emprego, gerando um confronto de informação desatualizas. Enquanto areas comunitarias estão descobertas, ACS’s estão em desvio de funçãoprocurando comodidade, desmerecendo sua profissão.

Nossa redação fez uma pesquisa informal em Alto Alegre dos Parecis sobre o trabalho do Agente Comunitario de Saúde e das equipes do PSF nas areas de cobertura. Falhas como falta de visitas do ACS lideram as reclamações. Mais grande porcentagem das familias assistidas pelo programa elogiaram e mostraram grande respeito.

Entrevistamos uma Agente Comnunitária de Saúde do PSF da cidade de Ariquemes, bem formada e informada, a profissional que não quis divulgar seu nome atua a cinco anos na area. Esta é a opinião da Agente que chamamos de V. B.

01) Qual o trabalho do Agente Comunitario de Saúde?

ACS: Promoção a Saúde e prevenção de doenças.

02) É obrigação do ACS estar engajado em outras atividades a serviço de ouras secretarias como assistência social, vigilância sanitária e também outros programas?

ACS: Sim. Para se ter saúde, são necessárias ações intersetoriais.

03) Há hoje uma deficiencia nos programas como mau funcionamento em alguns setores, do tipo, Unidade de Saúde fa Familia, visitas do agente, supervisão e agilidade na visita dos profissionais especializados. Em sua opinião há que se atribui a falha?

ACS: Má gestão.

04) Má gestão na saúde municipal ou na administração do programa?

ACS: Má em um todo, quem comanda a saúde municipal?

Quem nomeia o administrador do programa?

Acredito que também falta de comprometimento com as diretrizes do programa, já que é sabido que dificilmente os municípios fazem cumprir o que o programa preconiza.

A união mesmo fiscalizando, não toma medidas de solução concreta.

05) Em se tratando do compromisso da união. Será possível a nova lei entrar em vigor ainda esse ano?

ACS: Possível sim, mas é uma questão legislativa.

06) O desvio de função nos cargos de ACS deveriam ser punidos com mais severidade? Ou seja, isso deveria ser inadmissível?

ACS: Sim. Desvio de função foge do programa.

Se um ACS não cumpre sua função, isso abre brechas para manipulação de dados, pois para o ministério é informado um numero de ACS e suas respectivas produções, e se esse ACS não cumpre com suas atribuições, obviamente o município não receberá recurso do mesmo. Fora que sua equipe PSF ficara irregular, ai pode-se por má fé, “inventar produção”, afim de não perder recurso. O agente que se sujeita a desvio de função é um desconhecedor de seus direitos e deveres, pois uma vez que ele o aceita por vantagem pessoal, o mesmo é desclassificados com tal função, e não é mais merecedor de ser um Agente Comunitário de Saúde… Ser um ACS é um dom e não uma função.

Alto Alegre dos Parecis tem:

Cinco equipes do PSF – duas equipes na zona urbana e três equipes na zona rural.

- Cada PSF tem um médico, um enfermeiro, um técnico de – -enfermagem, um odontólogo, e um Auxiliar de odontologia

- O município tem 32 Agentes Comunitários de Saúde.

- Uma vez por mês os 32 agentes comunitários de saúde recebem formação e orientação.

Na comunidade do Site altoalegre.net no Orkut, o assunto sobre PACS/PSF continua. Entre, participe e de sua sugestão. A Coordenadora do programa, Enfermeira Marcele Damo, estará respondendo na medida do possível. (abra seu Orkut, copie o link abaixo e cole no navegador… clique em participar da comunidade) http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=19732760

Dryan Préz/Claudemir Fernandes

Exclusivo: www.altoalegre.net

Redator: Rosa Maria Afonso.

Participação especial: V. B. ACS/Ariquemes – RO


Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde coordenada por Samuel Camelo

Blog: www.mobilizacaonacional.kit.net/blog
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.mobilizacaonacional.kit.net

Fonte na web: www.altoalegre.net