sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Atenção à saúde

Ponto do Servidor - Freddy Charlson
Jornal de Brasília - 20/08/2010


PRESSÃO EM ALTA

É cada vez maior a pressão pela efetivação das nomeações, autorizadas em março passado, de 250 agentes comunitários de saúde. Em audiência pública na Câmara Legislativa, o presidente do sindicato da categoria, Wandermann Martins, cobrou solução urgente para o assunto, pois os profissionais já receberam capacitação e cumpriram todas as exigências para ocupar os cargos. O sindicalista alega que um dos motivos do Distrito Federal apresentar uma das piores coberturas na atenção primária à saúde é a carência de pessoal no Programa Saúde da Família.



CAOS JURÍDICO

A secretária de Saúde, Fabíola de Aguiar, argumenta que a nomeação do grupo só acontecerá após a solução do imbroglio jurídico criado com a contratação dos primeiros agentes, pelo então ICS, pois não há como coexistir, na mesma categoria, agentes regidos pela CLT e pela Lei 8.112/90. Para a secretária, a melhor alternativa é a criação da carreira de agente comunitário.



GREVE DE RESIDENTES

O Ministério da Educação propôs, em acordo com o Ministério da Saúde (MS), um reajuste de 20% a partir do Orçamento de 2011 para os médicos residentes em greve em todo o Brasil. O valor foi considerado insuficiente pelos residentes e a greve continua por tempo indeterminado. No Hospital Universitário de Brasília (HUB), 150 profissionais de 27 especialidades participam da paralisação, iniciada em 17 de agosto. A categoria reivindica aumento de 38,7% da bolsa-residência, adicional de insalubridade e licença- maternidade de seis meses. Pede também a criação da 13ª bolsa, auxílios alimentação e moradia, e fixação de data-base anual.



SERVIÇOS NÃO PARAM

Segundo Pedro Igor Costa, residente de Clínica Médica e líder do movimento no HUB, nenhum serviço do hospital deve parar. A residência médica é definida como treinamento em serviço com supervisão de um médico e responsabilidade crescente. Os residentes do HUB recebem, já descontados o INSS e Imposto de Renda, uma bolsa de R$ 1.690 por 60 horas semanais de trabalho.



ATENÇÃO À SAÚDE

Um universo estimado em mais de quatro mil pessoas conta, desde quarta-feira passada, com o atendimento de mais uma unidade do Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (Siass), instalada no térreo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Servidores dos ministérios do Planejamento, das Comunicações, do Turismo, do IBGE e do Instituto Nacional da Propriedade Industrial também serão atendidos pela unidade, a segunda de Brasília e a 10ª do país. As unidades não funcionam como ambulatórios. Elas destinam-se a executar perícia médica oficial e ações de prevenção, atenção e acompanhamento da saúde do servidor federal.



MAIS UNIDADES

A expectativa é que, até o final deste ano, entre 35 e 40 novas unidades sejam abertas. A próxima a ser inaugurada será no Ministério da Saúde, na semana que vem. A prioridade é implantação do serviço em áreas onde existe maior concentração de servidores, como Rio e Brasília, por exemplo.


Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde coordenada por Samuel Camelo

Blog: www.mobilizacaonacional.kit.net/blog
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.mobilizacaonacional.kit.net

Fonte na web: conteudoclippingmp.planejamento.gov.br