sábado, 24 de julho de 2010

Salomão Gadelha apoia Agentes Comunitários de Saúde em mobilização nacional

Ex-prefeito defende piso de três salários mínimos para a ctegoria

O ex-prefeito de Sousa e candidato a deputado estadual, Salomão Gadelha (PMDB), vai acompanhar a delegação paraibana dos Agentes Comunitário de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE), na mobilização nacional da categoria, em Brasília, que acontece no próximo dia 18. O evento tem como objetivo levar ao cumprimento da emenda constitucional 63/2009, que dispõe sobre o piso salarial nacional e diretrizes do plano de carreira de ACS e ACE.

A participação de Gadelha no evento foi acertada durante a assembléia realizada nesta sexta-feira (23), em João Pessoa, para a escolha dos 10 delegados. O ex-prefeito compareceu a convite da presidente do Sindicato dos Agentes de Saúde da Paraíba, Célia Marques, para falar sobre como ele fixou em lei municipal o piso de dois salários mínimos e efetivou os agentes de saúde de Sousa, muito antes da aprovação da lei nacional. O senador Roberto Cavalcanti (PRB) também compareceu e se prontificou na ajuda à luta da categoria.

Os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias de Sousa recebem dois salários mínimos, um pago pelo Governo Federal e outro pago pelo Município, desde 2004. Em 2006, essa conquista foi transformada na lei 046/2006 que fixou os valores dos vencimentos para garantir o pagamento, independente do gestor que ocupe a Prefeitura.

“Acredito que saúde não se faz apenas com medicamentos e máquinas. Saúde é feita com gente. O agente de saúde, no PSF, é a porta de entrada e o elo mais importante para o cidadão receber os cuidados da atenção básica. O que fiz pelos ACSs e ACEs de Sousa, farei na Assembléia Legislativa por todos da Paraíba. Por isso, a luta dos Agentes de Saúde é a minha luta desde já”, destacou.

De acordo com Célia Marques, a garantia do pagamento de dois salários para os agentes de saúde implantada por Salomão “não é mágica, foi à boa vontade política em reconhecer o trabalho dos profissionais”.

Atualmente, 123 municípios paraibanos aderiram ao movimento pela efetivação dos agentes de saúde e estarão representados em Brasília, no dia 18 de agosto.

Segundo Salomão Gadelha, os agentes devem receber o piso de três salários mínimos, observando que o Sistema Único de Saúde é de gestão tripartite – formada pela União, Estados e Municípios.

“Em Sousa, são pagos dois salários – um pela Prefeitura e outro pelo Governo Federal. Temos de incluir o Estado também na compensação dos agentes, com o pagamento do terceiro salário. Precisamos discutir isso aqui na Paraíba e pretendo abrir esse debate na Assembléia Legislativa”, explica.

Da Redação (com assessoria)
WSCOM Online

Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde coordenada por Samuel Camelo

Blog: www.mobilizacaonacional.kit.net/blog
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.mobilizacaonacional.kit.net

Fonte na web: www.wscom.com.br