terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Teresina: Agentes de saúde recebem treinamento para combate à dengue

Agentes comunitários de saúde de mais de 70 centros de saúde de Teresina já receberam treinamento e cartilhas com orientações sobre o
controle da dengue no município. A ação, implementada pela Prefeitura,
por intermédio da Fundação Municipal de Saúde (FMS), teve início no
último dia 13 e se estenderá até o dia 27 deste mês, como forma de
fortalecer o trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti, cujos
focos tendem a se proliferar no período chuvoso.
De acordo com o Serviço de Epidemiologia da FMS, o objetivo é
orientar e sensibilizar os agentes das 226 equipes de Saúde da Família
no sentido de dobrar a atenção sobre ocorrências de dengue na cidade e
encaminhar imediatamente os casos suspeitos para análise e tratamento
nas unidades de referência.

De acordo com a coordenadora de Ações Assistenciais da FMS, médica
Amariles Borba, os agentes de saúde estão sendo colocados em alerta
máximo, e todo o cuidado deve também ser redobrado pela população no
sentido de eliminar situações favoráveis ao surgimento de focos.
O que é a dengue - A dengue é uma doença infecciosa febril aguda
causada por um vírus da família Flaviridae e é transmitida através do
mosquito Aedes aegypti, também infectado pelo vírus. Atualmente, a
dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública de
todo o mundo. Existem quatro tipos, já que o vírus causador da doença
possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. No Brasil, já
foram encontrados da dengue tipo 1, 2 e 3.

Dengue Clássica - É uma forma mais leve da doença, semelhante à gripe.
Inicia-se de uma hora para outra e dura entre 5 e 7 dias. A pessoa
infectada tem febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor
muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, manchas
vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças), entre
outros sintomas, que duram até uma semana.

Dengue Hemorrágica - É grave e se caracteriza por alterações da
coagulação sanguínea da pessoa infectada. Inicialmente se assemelha à
dengue clássica, mas, após o terceiro dia de sua evolução, surgem
hemorragias em virtude do sangramento de pequenos vasos na pele e nos
órgãos internos. Pode provocar hemorragias nasais, gengivais,
urinárias, gastrointestinais ou uterinas.

Ensina Amariles Borba que tudo isso pode ser evitado com medidas
simples, como evitar acúmulo de água, tampar bem as caixas-d’água,
tanques, barris, deixar garrafas sem tampa sempre de boca para baixo,
observar as calhas e lajes, colocar areia nos pratos dos vasos, evitar
o cultivo de algumas plantas, como a bromélia, pois acumulam água,
cuidar da limpeza do ambiente e adotar o hábito do cuidado com a
higiene, que pode, inclusive, evitar outras doenças, como a gripe e a
diarreia.

“Se a pessoa apresentar qualquer sintoma de dengue deve,
imediatamente, procurar o posto de saúde mais próximo e intensificar a
hidratação; a urina tem que estar sempre clara como a água que se
bebe”, assinala.

“Embora tenhamos registrado uma redução significativa de contaminação
em 2009 - mais de 50% - a dengue preocupa e vem atingindo com bastante
força algumas regiões do país, ressurgindo em comunidades de Teresina.
Por isso estamos reforçando essa luta de prevenção e combate,
alertando os agentes e a população para evitar seu avanço”, salienta a
médica, que é especialista em saúde pública.

Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde

Blog: www.mobilizacaonacional.kit.net/blog
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Site: www.mobilizacaonacional.kit.net

Fonte na web: www.emdianews.com.br